Busca  
  Física   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Plano cartesiano

O século XVII caracterizou-se por um grande avanço na ciência. Foi nesse período que viveu o filósofo-matemático René Descartes. Em 1637, Descartes expõe no livro La Geometrie (A Geometria) um importante método de localização de pontos no plano. Essa localização acontece de forma bastante simples. Basta que se defina a distância do ponto em relação a um eixo horizontal e a outro eixo vertical.
 
Embora tivesse sido introduzida por um outro matemático, Pierre Fermat (1601-1665), esse sistema de eixos ficou conhecido como sistema cartesiano de coordenadas e o plano que o contém é chamado de plano cartesiano, derivado da forma latina Cartesius.
 

Eixos cartesianos

São duas retas perpendiculares. O ponto em que se cortam (0,0) recebe o nome de origem das coordenadas. Nessas retas estabelece-se uma série de convenções (Figura 1).

•  O eixo horizontal é positivo à direita da origem das coordenadas e negativo à sua esquerda. Recebe o nome de eixo das abscissas, do latim abscindere, que significa cortar.

•  O eixo vertical é positivo acima da origem das coordenadas e negativo abaixo. Recebe o nome de eixo das ordenadas.
 
 
 
Para lembrar: Quando desenhamos os eixos cartesianos, o plano fica dividido em quatro regiões chamadas quadrantes (Figura 2).


Dado o ponto P de coordenadas (a, b), dizemos que:

•  P é do primeiro quadrante se, e somente se, a > 0 e b > o
•  P é do segundo quadrante se, e somente se, a < 0 e b > o
•  P é do terceiro quadrante se, e somente se, a < 0 e b < o
•  P é do quarto quadrante se, e somente se, a > 0 e b < o
 
Para lembrar: Os pontos dos eixos, ou aqueles que possuem uma das coordenadas zero, não pertencem a nenhum quadrante



Anterior Início Próxima