Busca  
  Física   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Movimento referencial

Todos possuem curiosidade de entender como o tempo pode ser diferente para observadores diferentes. Isso é possível porque o movimento é relativo, ou seja, depende de onde está sendo observado. Imagine a seguinte história do herói Super-homem: Clark Kent precisa salvar Lois Lane, sua namorada, que foi lançada da Terra para o planeta B-612. Para segurar o foguete, ele a espera em outro planeta, quando de repente, vê o foguete passar no espaço. Como o foguete está com gravidade artificial, Super-homem usa sua visão de raio X e percebe quando Lois deixa cair uma bolinha de suas mãos.


Tente imaginar como Lois viu a queda da bolinha. Ela vê a bolinha cair em linha reta até o solo do foguete. Vamos considerar que a bolinha demorou um segundo para chegar ao chão do foguete.


Já Super-homem vê a queda de modo diferente. Como? Temos de considerar dois movimentos: ao mesmo tempo (um segundo) em que a bolinha caía no chão, o foguete também se deslocou uma certa quantidade no espaço. Logo, Super-homem viu a bolinha fazer uma trajetória parecida com metade de uma curva ou, como chamamos em Física, uma semiparábola. Agora vem a grande sacada: para o Super-homem, a distância que a bolinha percorre até o chão parece maior.

Desmembrando o movimento, teremos um deslocamento para baixo (da bolinha) e outro para frente (da nave). Para o Super-homem a bolinha demorou mais tempo para cair, isto é, em seu relógio, o tempo de um segundo não seria o suficiente para a bolinha chegar ao chão. Assim, a relatividade nos fala de outro princípio:

O movimento de um corpo quanto ao seu deslocamento no tempo e no espaço dependerá sempre de um referencial (daí o nome 'movimento referencial').




Faça você mesmo!

Podemos fazer um experimento parecido com este: junte algumas pessoas, colegas de escola, parentes ou amigos, peça para que todos reparem no momento em que você irá lançar a bolinha para o alto, e em seguida você irá andar rapidamente na frente deles a uma distância razoável para que todos possam te ver ao longo de todo o trajeto; quando você estiver andando, arremesse para o alto em linha reta uma bolinha, e também a observe. Em seguida discuta com eles o que você viu e o que eles viram. Você verá a bolinha subir e descer em linha reta; já as pessoas, que estão paradas, irão ver a bolinha fazer uma curva no ar.



Anterior Início Próxima