Busca  
  História regional   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Trajetória da cidade

Em 1532, Martim Afonso de Sousa recebeu a Capitania de São Vicente. Era uma região de poucos atrativos, povoada por índios hostis à colonização portuguesa. A economia baseava-se no cultivo da cana-de-açúcar e na agricultura de subsistência. Em 1554, São Paulo de Piratininga foi fundada pelos jesuítas, no planalto além da Serra do Mar.

Inauguração da primeira pista da Via Anchieta em 1947: do planalto para o litoral, um novo caminho do mar atravessa a serra

Entradas e bandeiras


A busca de riquezas e oportunidades deu origem aos movimentos de entradas e bandeiras. As primeiras eram financiadas pela metrópole, à medida que os bandeirantes arcavam com seus custos. Eles aventuravam-se pelas matas à procura de pedras preciosas, ouro, prata e índios. Tiveram um papel importante para a ampliação do território, a mineração e a repressão aos escravos rebelados, especialmente no século XVII.
 

Cartaz da tradicional Fábrica de Chocolates Falchi: homenagem ao Centenário da Independência, em 1922
Café e trabalho livre


A expansão da economia cafeeira, no século XIX, trouxe imensas riquezas e progresso. A estrada de ferro foi grande aliada para o desenvolvimento econômico de outras regiões. Na capital, São Paulo, surgiram os bondes elétricos na virada do século XX e, na década de 1920, os ônibus a diesel. O plantio de café no Vale do Paraíba expandiu-se para o Oeste Paulista na segunda metade do século XIX. A mão de obra livre, de imigrantes europeus, permitiu o surgimento de novas relações de trabalho.


Indústria e cultura

Os lucros obtidos com o café foram investidos na industrialização, e São Paulo tornou-se o polo industrial de maior peso do país. Em 1939, os ganhos com a produção industrial superavam os da atividade agrícola. Na década de 1940, as fábricas desenvolveram-se e diversificaram seus produtos, com destaque especial ao setor metalúrgico. A capital do Estado começou a se expandir cada vez mais rápido. A liderança econômica de São Paulo somou-se uma importante e incrementada vida cultural.


A influência da megalópole

Com a intensificação das migrações internas a partir de 1950, o crescimento populacional foi inevitável e a cidade inchou sem planejamento. São Paulo foi se fortalecendo como grande polo de oportunidades, mas iniciou os anos de 1970 com os problemas de uma megalópole. Paralelamente, o interior do Estado foi conquistando uma fatia desse poder econômico, tanto no setor agrícola quanto no industrial. A partir da década de 1980, a capital reforçou sua condição de cidade de serviços e passou a conviver mais de perto com as sequelas do desemprego, da falta de projetos habitacionais e de transportes coletivos suficientes para atender sua população.


Anterior Início