Busca  
  Sociedade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

O mineiro de Diamantina

Juscelino Kubitschek de Oliveira (1902-1976) formou-se em Medicina aos 25 anos e foi professor universitário até optar pela política. Apoiou Getúlio Vargas nas eleições de 1930. Nomeado, em 1932, chefe do Gabinete Civil do interventor mineiro Benedito Valadares, conciliou por algum tempo a Medicina e a política.

Vida política

Deputado federal (1935 a 1937 e 1946 a 1950), prefeito de Belo Horizonte (1940 a 1945) e governador de Minas (1951 a 1955) foram os primeiros mandatos de Juscelino. Mas foi na presidência (1956 a 1960) que alcançou a fama.

Além de incentivar a industrialização, a medida de maior impacto do governo Juscelino foi a transferência da capital do Rio de Janeiro para Brasília, em 21 de abril de 1960.



Presidente bossa-nova

O compositor João Gilberto: mentor musical da batida da bossa-nova
Durante o governo de Juscelino, surgiu o movimento musical chamado bossa-nova, uma mistura dos elementos tradicionais do samba com técnicas de jazz. O estilo ganhou popularidade no Brasil e no exterior e rendeu a Juscelino o apelido de 'presidente bossa-nova'.


JK e a promessa dos "50 anos em 5"

Um dos períodos mais festejados de nossa história econômica foi o de Juscelino Kubitschek (1956 a 1961). Sustentado por um competente esquema de comunicação, JK entusiasmou o país com a promessa de modernização e desenvolvimento, traduzida em seu lema "50 anos em 5".


O plano de metas de JK

Construção de Brasília: o Congresso Nacional em obras, no final dos anos 1950
O projeto econômico de Juscelino foi apresentado em seu Plano de Metas, que focalizava:
  • Energia ­– Ampliação do fornecimento.

  • Transporte ­– Ampliação e melhoria das estradas de rodagem e estímulo às montadoras de automóveis.

  • Alimentação – Maiores investimentos no setor de alimentos para aumentar a oferta.

  • Indústrias de base ­ – Maiores investimentos no setor.
     
  • Educação ­– Melhoria e ampliação do ensino público.

  • Construção de Brasília ­– Incentivo ao desenvolvimento do Brasil Central.

Sem conseguir cumprir satisfatoriamente a maior parte de suas propostas, o Governo JK propiciou anos de intenso crescimento econômico e favoreceu a consolidação da indústria no Brasil. Hidrelétricas gigantescas, indústria automobilística e estradas que cortavam o país anunciavam um modelo de progresso que depositava na tecnologia as esperanças da resolução dos males do país.


Exílio e morte

Encerrada a presidência, Juscelino passou a faixa presidencial para Janio Quadros e elegeu-se senador por Goiás em junho de 1961, mas não chegou a cumprir o mandato: foi cassado pelo golpe militar em 1964 e exilou-se na Europa. De volta ao Brasil, morreu em 22 de agosto de 1976, em um acidente de carro na via Dutra.


Anterior Início Próxima