Busca  
  Sociedade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

D. Hélder Câmara (1909-1999)

Gisele Toledo
O ex-arcebispo de Olinda e de Recife, D. Hélder.
Ex-arcebispo de Olinda e de Recife, D. Hélder Pessoa Câmara esteve, no início dos anos de 1970, prestes a ganhar o Prêmio Nobel da Paz, por sua atuação em favor dos pobres, dos presos políticos e pela defesa dos Direitos Humanos. A premiação só não aconteceu porque o governo de Garrastazu Medici (1969 a 1974) moveu uma campanha secreta contra sua indicação. Sua atuação incomodava tanto o regime que os ditadores proibiram a simples menção de seu nome pela imprensa. Um de seus assessores foi assassinado por um grupo paramilitar, em 1969. Dezenas de outros auxiliares de D. Hélder foram presos e, por mais de uma vez, a casa do arcebispo chegou a ser metralhada por defensores da ditadura.
  
Da direita para a esquerda

Cearense, D. Hélder foi ordenado padre em 1931 e pouco depois se tornou uma das principais lideranças do integralismo em seu Estado. Abandonou o movimento no final dos anos de 1930 e começou a defender ideias de esquerda. Desenvolveu programas de urbanização de favelas, desempenhou importante papel na criação, em 1952, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e lutou contra o regime militar. Aposentou-se aos 75 anos, ao atingir a idade-limite para o exercício de função episcopal.

behindlens/Shutterstock
Olinda, em Pernambuco: cidade de beleza natural exuberante e graves problemas sociais.



Anterior Início Próxima