Busca  
  Antiguidade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Os artesãos e suas invenções

No Egito, havia um grande número de profissões artesanais: marceneiros, ourives, pintores, escultores etc. Pelas obras de arte e textos que sobreviveram, é possível conhecer a organização daquela sociedade.

Os artesãos trabalhavam nas oficinas dos palácios e dos templos. Sua posição social era baixa, mas ignoramos se eram pessoas livres ou escravas.

shutterstock
A partir da planta papiro (um tipo de junco), os egípcios fabricavam uma espécie de papel de mesmo nome.


A fabricação do papiro
  
Os egípcios inventaram um tipo de papel feito de uma planta chamada papiro. Para fabricar o papiro, extraía-se uma camada fina do interior do caule, que era batida até se conseguir uma folha lisa e firme.

Existiam dois tipos de papiro:
um mais fino, denominado hierático, e outro mais grosso, chamado leneótico.

Escrevia-se com um junco cortado em ponta, usando tinta preta ou vermelha diluída em água. Os papiros mais antigos datam do princípio do segundo milênio a.C.


O faraó

O faraó foi, ao longo de três mil anos, a pessoa mais importante do Egito 
era considerado um deus vivo, que presidia todos os poderes humanos e divinos, e era adorado em vida.

Como chefe de Estado, controlava a administração, a lei, o exército e a religião, e era o mediador entre os deuses e os homens.

Sua existência justificava-se pela necessidade de criação de uma organização capaz de aproveitar e controlar as inundações do Nilo.

O faraó era assistido por uma corte de sacerdotes, funcionários e escribas. Também havia rainhas no trono do Egito – como Hatsepsut – representadas com os atributos masculinos do faraó.

Trinta dinastias reais abarcam a história do Egito desde 3200 até 333 a.C., ano em que o país caiu em domínio grego.
  
shutterstock
Detalhe do templo de Ramsés em Abu Simbel.
Acredita-se que a escultura da esquerda representa o próprio Ramsés, um dos faraós mais importantes do Antigo Egito.


Anterior Início Próxima