Busca  
  Idade Moderna   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Contexto histórico

Clique na imagem para ampliar.
Aumento da população

O século XVIII foi marcado por uma revolução demográfica: um contínuo processo de crescimento da população. A Europa passou de 110 milhões de habitantes, no início do século, para 190 milhões, por volta de 1800. Entre os fatores responsáveis por esse aumento, destacam-se os progressos na agricultura, a melhoria das condições de higiene e o desaparecimento da peste bubônica.

As transformações agrícolas

As transformações na agricultura trouxeram um incrível aumento na produção de cereais. A Europa deixou de passar fome graças a essa revolução agrícola, baseada na utilização de maquinário e na introdução da cultura de milho e batata, produtos originários da América. Deixou de ser uma agricultura de subsistência e tornou-se capaz de abastecer os mercados com fartura.

As colhedoras, de Millet.
As novas máquinas


O uso generalizado das novas máquinas utilitárias — como a debulhadora, a colheitadeira e a semeadora — teve papel de destaque na revolução agrícola. A debulhadora, por exemplo, foi decisiva para o aumento da produção de cereais durante a Revolução Industrial. Esse novo equipamento descascava os cereais de forma mecânica, o que significou uma grande economia de tempo em relação ao processo manual.

Ciência e tecnologia a serviço da agricultura
Os fisiocratas defendiam o predomínio da natureza em relação ao mercantilismo. François Quesnay ponderou, em sua obra A Fisiocracia (ou 'o governo da natureza'), que apenas a agricultura era produtiva. O aumento da produção agrícola teve várias causas, como a utilização de novas máquinas, o novo processo de rotação de culturas, a adubação do solo com novos fertilizantes naturais ou químicos e, ainda, a seleção das sementes e das cabeças de gado.

Crescimento das cidades

A industrialização provocou o êxodo da população do campo para as cidades, que acabaram crescendo exacerbadamente. Os trabalhadores industriais viviam em bairros miseráveis, em péssimas condições de higiene. No final do século XVIII, havia 25 cidades com mais de cem mil habitantes na Europa, entre elas Londres, Paris, Moscou, Nápoles e Madri.

O pioneirismo inglês
Bairro operário na Inglaterra no século XIX.

Na Inglaterra, pioneira na Revolução Industrial, a mão de obra para as fábricas veio das áreas rurais, graças aos cercamentos – expropriação das terras dos camponeses. O êxodo rural fez aumentar a população urbana e, consequentemente, a oferta de mão de obra. Além disso, a evolução técnica, o controle da burguesia sobre o Parlamento, a acumulação de capitais devido ao comércio e à agricultura moderna, a supremacia naval – que garantiu aos ingleses o controle de mercados –, a influência do liberalismo e a existência de jazidas de ferro e carvão explicam a primazia da Inglaterra no processo.


Anterior Início Próxima