Busca  
  Introdução à Filosofia   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Adolescência: uma etapa filosófica da vida

Se você já passou ou está na adolescência, é provável que tenha sido chamado em algum momento de ‘rebelde sem causa’. O termo, muito comum para categorizar os adolescentes, não é completamente sem propósito. Nem totalmente negativo.
 
Assim como a criança, o adolescente observa tudo que lhe foi ensinado e compara esses ensinamentos com a realidade à sua volta, com as ideias e comportamentos de seus colegas e amigos.

Como já vimos anteriormente, a observação é o primeiro passo para o questionamento ou para a atitude filosófica. Mas agora, ao contrário da criança, o adolescente já reconhece o mundo ao seu redor, e passa a pôr em xeque não somente as leis naturais, mas essencialmente as leis humanas, a começar pelas regras sociais, a autoridade de pais e professores e sua posição no mundo.
 
E essa é uma viagem muito peculiar ao universo interno de cada um. Por isso, também é provável você já ter ouvido falar que algum adolescente está no ‘mundo da lua’.

Rebeldes e do ‘mundo da lua’ são também características atribuídas aos filósofos. Contudo, ao contrário do que muitos pensam, o filósofo não vive fora do mundo. A reflexão filosófica faz o indivíduo adentrar profundamente a realidade a fim de conhecê-la e, por vezes, modificá-la.

A Filosofia questiona o que já existe, coloca em dúvida, critica e, assim, abre a possibilidade de não só compreendermos a vida, mas de criarmos novas maneiras de viver e enxergar o mundo. Por isso, assim como os adolescentes, ela incomoda, pois questiona costumes estabelecidos e comportamentos tidos como normais ou naturais.

O bom filósofo é aquele que busca constantemente abandonar os preconceitos e a ingenuidade do senso-comum. Sem submeter-se às ideias dominantes, ele não cessa em compreender as significações do mundo, da história, da cultura, da política, da religião, das artes e das ciências.
Sua principal contribuição é disponibilizar para a sociedade e para cada um de nós a possibilidade de nos tornarmos conscientes de nós mesmos e de nossas ações.

O filósofo é um indivíduo que não desenvolveu a capacidade de se acostumar com o mundo, apesar de viver dentro dele. Para ele, o mundo encontra-se envolvido numa série de enigmas e mistérios.
Assim, se por um lado podemos compará-lo a uma criança que ainda mantém viva a capacidade de se surpreender com as coisas, por outro, podemos compará-lo a um adolescente, com seu ímpeto questionador.



Anterior Início