Busca  
  Introdução à Filosofia   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Tales de Mileto e a Lenda dos Sete Sábios



Conta uma lenda grega que, na passagem do século VII para o século VI a.C., alguns pescadores encontraram um precioso vaso de ouro denominado trípode. Esse vaso costumava ser oferecido aos deuses ou era concedido ao vencedor dos jogos olímpicos.

Ao ser consultado acerca do achado dos pescadores, o oráculo Delfos ordenou que ele fosse entregue ao mais sábio entre os homens. O povo de Mileto resolveu, assim, entregar o valioso objeto a Tales de Mileto. No entanto, e apesar da honra, Tales teria declinado do presente, pois considerava a existência de homens mais sábios do que ele.

O vaso de ouro foi então oferecido mais cinco vezes a homens distintos da época que, assim como Tales, não aceitaram o honroso presente. Na sétima vez, o trípode foi ofertado a Sólon de Atenas que, também rejeitando a homenagem, destinou o vaso a Apolo, considerando que só um deus poderia ser tido como um sábio.

Apesar das divergências acerca dos outros sábios, alguns nomes aparecem com mais frequência nos escritos acerca deste assunto, como Pítaco de Mitilene, Bias de Priene, Cleóbulo de Lindos, Míson de Queneia, Quílon de Lacedemónia.

A maioria desses sábios eram homens de estado e poetas que meditavam acerca das questões mais diversas do governo e da existência humana. Seus pensamentos, incorporados em suas célebres frases, chamavam à reflexão e encontravam abrigo na alma dos gregos.

Como se vê, eram reflexões que resultavam em sentenças de natureza moral e prática e que demonstravam preocupação com a conduta humana, numa espécie de lampejo filosófico. Não por acaso, entre esses sete sábios encontramos Tales de Mileto, considerado o primeiro filósofo ocidental.



Anterior Início