Busca  
  Ciências Naturais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Biologia ou tecnologia?!

Biotecnologia é uma ciência a qual se estuda a aplicação de materiais biológicos, como bactérias, fungos, células etc., para fazer ou melhorar certos produtos (comidas, por exemplo) ou processos (tratamento de lixo, purificação da água, entre outros). Por mais que a biotecnologia seja um campo relativamente novo da ciência, a prática de produzir alimentos, medicações e outros produtos por meio dos microrganismos é mais antiga do que imaginamos.

O pão


O hábito de se comer pão é tão antigo que ninguém sabe exatamente quando ele começou. Sabe-se que há 12 mil anos alguns povos trituravam o trigo para fazer farinha e a misturavam com frutos de carvalho. O pão era amargo, duro e seco. Porém, acredita-se que aproximadamente 3 mil anos a.C. os egípcios descobriram o fermento, que deixou o pão mais leve e fofinho. Mas alguns dizem que o fermento e o hábito de comer alimentos fermentados são muito mais antigos, vindos da pré-história.

Mas o que é o fermento?


O fermento utilizado para preparar pães e outros alimentos nada mais é do que um fungo! Na verdade, são fungos microscópicos chamados de leveduras. As leveduras, como todos os fungos, são seres heterotróficos, ou seja, não produzem seu próprio alimento, como é o caso das plantas e das bactérias quimiossintetizantes (seres autótrofos). Portanto, para se alimentar, esses seres retiram açúcares da natureza. Nós, seres humanos, contamos com a nossa respiração para converter nosso alimento em energia, necessária para sobrevivermos. As leveduras não são diferentes e também precisam converter os açúcares em energia, conversão essa feita por meio da fermentação.

Vamos usar o pão como exemplo: o fermento biológico (as leveduras) é colocado junto com açúcar. O açúcar serve de alimento para as leveduras e, em seguida, elas começam a realizar a fermentação alcoólica. A fermentação alcoólica tem esse nome devido ao fato de um de seus produtos finais ser o álcool (álcool + gás carbônico). Então, as leveduras conseguem obter energia do açúcar e liberam o gás carbônico, que é responsável pelos furinhos do pão (por isso ele fica fofinho) junto com o álcool, evaporado com o calor do forno. A fermentação alcoólica também é responsável pela produção de vinhos a partir de suco de uva, e de cerveja a partir de um suco de malte, cevada, lúpulo entre outros.

Equação da fermentação alcoólica:

C6H12O6 = 2C2H5OH + 2CO2
          glicose       álcool     gás carbônico


Outros alimentos fermentados


Existem outros tipos de fermentação que são realizados por outros organismos e que também são utilizados na produção de alguns alimentos que ingerimos. Um exemplo é a fermentação láctica realizada por bactérias. O processo é bem semelhante à fermentação alcoólica: as bactérias consomem a glicose (açúcar) do leite e a transformam em energia, produzindo uma substância chamada ácido láctico como produto final. Esse ácido láctico faz com que o leite vire iogurte, coalhada ou até mesmo queijo.

A fermentação láctica também é utilizada para conservar alguns alimentos. Conservas como picles, chucrutes e azeitonas e até embutidos como o salame, são feitos com a ajuda das bactérias. Elas realizam a fermentação láctica, já que nos alimentos fermentados é mais difícil crescer outros microrganismos que estragam as comidas, mantendo elas próprias para o consumo por mais tempo.

Não confundir a fermentação láctica, que transforma o leite em iogurte, com a fermentação láctica que acontece em nossos músculos. O processo é o mesmo e a acumulação de ácido láctico nos músculos é responsável pela cãibra que sentimos quando fazemos muito exercício. Porém, nos músculos quem realiza essa fermentação são as próprias células musculares e não as bactérias. Nossas células utilizam esse processo para obter energia quando não existe oxigênio suficiente para a respiração celular.


Outro tipo de fermentação que também produz alimentos utilizados por nós é a fermentação acética. A fermentação acética também é realizada por bactérias, porém, nesse caso, as bactérias convertem o álcool em uma substância chamada ácido acético. Por meio desse processo, as bactérias transformam o vinho em vinagre, sendo o ácido acético o responsável pelo sabor ácido do produto. A fermentação acética feita por essas bactérias também é responsável pelo azedamento de sucos de frutas.


Anterior Início Próxima