Busca  
  Teorias Sociológicas Clássicas   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Suas preocupações



Apesar de sua visão otimista quanto à sociedade capitalista, Durkheim observou atentamente os problemas de sua época e, diferente dos socialistas, não atribuiu suas causas a questões econômicas. Para ele, a grande raiz desses problemas estava ligada a uma moral fragilizada e incapaz de orientar de maneira adequada o comportamento dos indivíduos daquele período.

Como discordava da raiz dos problemas, Durkheim discordou também na formulação de soluções para eles. Segundo ele, ao invés de desenvolver programas de alcance econômico, era necessário a formulação de um novo quadro de conduta moral para os indivíduos. Só assim seria possível resolver os problemas de desintegração social e os impasses vividos pela sociedade moderna.

Ao observar esses problemas, Durkheim se preocupou, por exemplo, em estudar a elevação das taxas de suicídio que marcou a sociedade industrial de seu tempo. Essas taxas foram apresentadas por ele como indícios de que a sociedade vivia um estado de anomia, de doença, e que não era mais capaz de controlar as ações individuais.

Durkheim acreditava que valores morais bem definidos poderiam resolver problemas tanto econômicos como políticos, promovendo, por conseguinte, relações sociais mais estáveis e integradoras dos indivíduos.

Mas quem se responsabilizaria pela formulação dessa nova moral? Durkheim não tem dúvidas quanto ao papel da ciência, mais especificamente da Sociologia, nesse cenário.

Para tanto, era necessário alçar a Sociologia a um novo patamar, definindo seu método de investigação e estabelecendo um objeto de estudo que lhe fosse específico, ou seja, que não se confundisse com o de outras ciências, como a Economia e a Psicologia. Esse objeto foi definido por ele enquanto fato social.

Faça um exercício de interpretação de texto e, na citação abaixo, identifique a importância que Durkheim dá à moral e ao papel da ciência no ordenamento da nascente e confusa sociedade industrial.

Émile Durkheim: sociólogo positivista
“As paixões humanas só se detêm diante de um poder moral que respeitem. Se falta uma autoridade moral desse gênero, impera a lei do mais forte; (...) há necessariamente um estado de guerra crônico... Enquanto em outros tempos as funções econômicas só tinham um papel secundário, hoje ocupam o primeiro plano. Diante delas, vemos as funções militares, administrativas e religiosas recuarem cada vez mais. Só as funções científicas têm condições de lhes disputar a posição.” (Durkheim)




Anterior Início Próxima