Busca  
  A matriz negra   
Pluralidade Cultural  

Rotas africanas

Porta do não retorno, Gorée


O tráfico negreiro, considerado uma das maiores tragédias da história da humanidade, durou séculos. Se incluir os traficantes de escravos árabes, essas tragédias se expandem para milênios. Milhões de pessoas foram tiradas da África subsaariana, sendo estas deportadas para a Ásia, Europa e América por meio de três rotas:

  • oriental (Oceano Índico)

  • transaariana (Deserto do Saara e do Mar Vermelho)

  • transatlântica (Oceano Atlântico)

Segundo alguns pesquisadores, os árabes foram os principais responsáveis pelas rotas orientais e transaarianas, entrando nesta conta cerca de cinco milhões de africanos que fizeram forçadamente este trajeto. Por meio dessas duas rotas, os africanos foram levados para o Oriente Médio (Arábia Saudita, Emirados Árabes, Iêmen etc.), e também para a Índia, Sri Lanka e outros locais. Os europeus foram os grandes responsáveis pelo tráfico transatlântico – 40 a 100 milhões de africanos foram enviados (forçadamente) para a Europa e América.

Contudo, muitos outros personagens fizeram fortuna com a escravidão de africanos; exemplo disso foi a atuação judaica no tráfico negreiro:

“Não existe mais dúvidas de que o povo judeu foi mais um que cometeu este crime: eles tinham o monopólio, eles conservavam as condições comerciais, eles possuíam os navios, e era deles parte do lucro. Note que o último navio de escravos, o navio Orion, pertencia à companhia de navegação judaica Blumenberg, de Hamburgo”.

A América do Sul, por exemplo, foi tenazmente receptora de um vasto número de pessoas vindas da África. Chegaram ao continente sul-americano 10 milhões de africanos, sendo que quatro milhões vieram para o Brasil, ou seja, 40% deste total ficaram nas terras brasileiras.

O Brasil foi o país que teve a mais prolongada escravidão, 350 anos, e se colocou também como o principal importador de escravizados oriundos da África.

Praticamente todos os africanos trazidos para o Brasil vieram por meio da rota transatlântica que envolve os povos das seguintes regiões geográficas:

I. África Ocidental – Senegal, Mali, Níger, Nigéria, Gana, Togo, Benin, Costa do Marfim, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné, Camarões;

II. África Centro-Ocidental – Gabão, Angola, República do Congo, República Democrática do Congo (antigo Zaire), República Centro-Africana;

III. África Austral – Moçambique, África do Sul e Namíbia



Anterior Início Próxima