Busca  
  Teorias Sociológicas Clássicas   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

O conceito de dominação



Diferente do poder, o conceito de dominação concebido por Weber constitui-se na probabilidade de um indivíduo ter suas ordens obedecidas. Isto é, não basta que um indivíduo queira dominar o outro, este outro precisa estar disposto, precisa querer obedecer. Desse modo, a dominação depende das duas partes: daquela que domina e daquela que se deixa dominar. Aqueles que obedecem, reconhecem as ordens que lhes são dadas.

Weber identificou três tipos de dominação: a dominação legal, a dominação tradicional e a dominação carismática.

A dominação legal seria aquela de caráter racional e fundamentada em uma ordem estabelecida. Nela, a autoridade de um indivíduo é legitimada nas formas da lei. Um bom exemplo de dominação legal é aquela exercida por meio de um quadro burocrático-administrativo, como o Estado. Para Weber, esse tipo de dominação é a que possui maior estabilidade, já que está calcada em um amplo quadro de leis e estatutos pré-estabelecidos que, na maior parte das vezes, independe de quem ali ocupa uma posição ou cargo, a exemplo de um governador ou prefeito.

A dominação tradicional, como o próprio nome já indica, seria aquela baseada na tradição e na crença da legitimidade dos costumes. Existe aqui uma clara relação de fidelidade para com a tradição, que é vista como sagrada. Nesse sentido, não se obedece a estatutos ou lei, mas à autoridade que, por ter sido estabelecida pela tradição, é vista como digna de respeito.

Papa Bento XVI, exemplo de uma dominação tradicional
Um bom exemplo de dominação tradicional é aquela exercida pelos pais sobre os filhos, mesmo depois que eles crescem e se tornam independentes. Obedecemos aos nossos pais não porque uma lei nos obrigada, mas porque enxergamos neles figuras de respeito e até sagradas. Também podemos citar a obediência de religiosos a autoridades tradicionais, como um padre ou um pastor.

Já na dominação carismática, a autoridade de um indivíduo é legitimada não por leis ou tradições, mas por seus valores excepcionais, como heroísmo, exemplaridade, intelectualidade e oratória. Nas páginas a seguir, você terá a oportunidade de saber um pouco mais acerca disso e conhecer um exemplo de dominação carismática que marcou o início do século XXI: a figura de Barack Obama.



Anterior Início Próxima