Busca  
  Arte   
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.  

A tumba de Tutancâmon


Tutancâmon foi o governante mais jovem do Egito antigo. Décimo terceiro da 18ª dinastia, teve um reinado breve, entre 1333 a.C. a 1327 a.C., sendo enterrado no Vale dos Reis. Seu túmulo só foi aberto em 1922. Sua múmia estava intacta, acompanhada de um tesouro inigualável.

O arqueólogo inglês Howard Carter, dentro da tumba de Tutancâmon


A máscara mortuária de Tutancâmon


A máscara comprova que os egípcios elaboraram uma técnica apurada para a fundição dos metais
A máscara fúnebre de Tutancâmon é provavelmente uma das mais belas amostras de quão evoluída era a arte egípcia. Combinando materiais como folhas de ouro e diferentes pedras preciosas, deixa claro o grande domínio que tinham da ourivesaria e das proporções escultóricas.

A máscara era para eles um objeto de importância fúnebre, ajudando na conservação dos restos mortais. Observe os detalhes:

Nemes: São as faixas colocadas na parte superior da máscara. As azuis (feitas com lápis-lazúli) representavam o faraó como a encarnação do deus do céu e as em dourado se referiam à ligação com o deus solar.

A cobra e o abutre: A cobra (uraeu) posta na região frontal da máscara representa Wadjet, deusa protetora do Baixo Egito. E o abutre, abaixo da cobra, representa Nekhbet, espírito protetor do Alto Egito.

A cabeça de falcão: Representada na gola da máscara, faz uma alusão a Hórus, deus do céu, e símbolo da divindade faraônica.



Anterior Início Próxima