Busca  
  Cultura Brasileira   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Festas



A região Norte, culturalmente muito rica, possui muitas festas típicas. Entre as mais famosas festas estão o Círio de Nazaré e o Boi-Bumbá.

Algumas festas são comemoradas na região Norte, mas também em Estados de outras regiões do Brasil, como a Festa do Divino Espírito Santo (por exemplo, Maranhão, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo etc.) e a Folia de Reis (em Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, Espírito Santo, por exemplo).


Círio de Nazaré

O Círio de Nazaré, que acontece em Belém do Pará, teve sua origem lá em Portugal. Isso porque a imagem da santa originária da cidade de Nazaré, em Israel, e que pertencia ao mosteiro de Caulina, na Espanha, foi levada para Portugal por conta de uma batalha, e lá ficou. Quando foi encontrada, tempos depois, passou a ser adorada e a ter milagres atribuídos a ela.

Por volta de 1700, no Pará, um caboclo chamado Plácido José de Souza encontrou uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré próxima ao igarapé Murutucú, local onde hoje se encontra a Basílica de Nazaré.

Dizem que o caboclo levou a imagem para sua casa, e que no dia seguinte ela havia sumido, sendo encontrada no lugar onde ele a achou. Esse fato se repetiu por várias vezes, o que motivou a construção de uma capela no local onde a imagem foi encontrada.


A procissão


É realizada há mais de dois séculos, em Belém do Pará, em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré.

A procissão acontece sempre no segundo domingo de outubro; sai da Catedral de Belém, e vai até a Praça do Santuário de Nazaré, onde a imagem fica exposta por 15 dias.

Conheça mais sobre a festa do Círio de Nazaré.




Boi-Bumbá

No Brasil o Festival de Parintins é o evento que mais divulga o Boi-Bumbá. Conheça mais a festa, realizada em vários lugares do Brasil.

A festa do Boi-Bumbá é bastante encontrada nos municípios do Estado do Pará, sobretudo no mês de junho. Dizem que suas origens podem estar nos séculos XVII e XVIII, quando muito da vida estava ligada à criação de boi.

É sabido também que o boi representava a luta de classes, sendo festejado pelos negros escravizados do século XIX, como uma forma de resistência. Assim como o gado trabalhava duro, o escravizado também o fazia. Por isso, nesse tipo de festa o boi era o festejado, representando a classe dos negros.

Veja abaixo uma das versões para a celebração do Boi-Bumbá:

Havia um boi especial em uma fazenda. Era o preferido de seu dono, que por isso deu ordem para tratá-lo muito bem.

Pai Francisco trabalhava na fazenda e cuidava do boi. Além disso, era casado com Catirina, que estava grávida.

Um dia, Catirina disse ao pai Francisco que precisava comer a língua daquele boi, pois estava com desejo. Pai Francisco relutou bastante, mas acabou cortando a língua do boi e levando para sua esposa. O boi ficou desfalecido.

Foi aí que apareceu o dono do boi, desesperado por conta de seu animal preferido, e pai Francisco ficou em situação bastante difícil. Resolveram então chamar o pajé, que em um ritual conseguiu ressuscitar o boi.

Pai Francisco ficou bastante aliviado e o dono do animal também. Assim, todos festejaram bastante o acontecimento.

(Adaptação livre da história folclórica)







Anterior Início Próxima