Busca  
  Genética e evolução   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Entendendo o material genético

rob3000/Shutterstock
DNA
quer dizer ácido desoxirribonucleico – é uma macromolécula constituída por várias moléculas menores chamadas nucleotídeos, compostas por um açúcar (pentose), base nitrogenada e fosfato. As bases nitrogenadas podem ser bases púricas ou pirimídicas. Dentre as bases púricas existe a adenina e a timina, que no RNA é substituída pela uracila. As bases pirimídicas são a citosina e a guanina.

A molécula de DNA se organiza como uma grande fileira de nucleotídeos. Como o DNA sempre se encontra em fita dupla, as duas macromoléculas se ligam pelas bases nitrogenadas, no entanto essa ligação não é feita de maneira aleatória – a adenina sempre se liga com a timina e a citosina com a guanina. Essa fita dupla de DNA se enrola como uma hélice, formando grandes filamentos dentro da célula. Esses filamentos ficam organizados no núcleo da célula eucarionte ou dispersos no caso de células procariontes.


O material genético nas células procariontes


Como as células procariontes não possuem organelas em seu interior, o envoltório nuclear (antigamente chamado de carioteca) também não existe nessas células. Por isso, os procariontes não possuem núcleo definido por membrana, mas eles têm regiões chamadas nucleoides, onde o cromossomo se encontra. O DNA procarionte é um filamento circular, com uma ou duas cadeias em hélice.

Muitas bactérias possuem DNA extracromossômico circular com informações úteis, porém não vitais. Esses ‘pedaços de DNA’ são chamados de plasmídeos e são utilizados pela biotecnologia principalmente na produção de transgênicos. O DNA circular também está presente em mitocôndrias e cloroplastos, o que reforça a Teoria da Endossimbiose



Anterior Início Próxima