Busca  
  Corpo humano   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

O metabolismo do exercício

Nosso corpo mantém reservas de energia, pois é impossível para a célula armazenar grandes quantidades de ATP. As reservas de energia são encontradas em diversas formas: os lipídeos (gordura) podem ser reservados nas células adiposas e os carboidratos (açúcares) geralmente são estocados em forma de glicogênio.

Os lipídeos são armazenados no corpo em forma de ácidos graxos livres. Esses ácidos ficam depositados em um tecido diferenciado, o tecido adiposo. As células adiposas ou adipócitos possuem grandes gotas de gordura (ácidos graxos), que podem ocupar até 85% do volume total da célula. Os ácidos graxos podem ser quebrados diretamente para a produção de energia ou também podem ser utilizados para a produção de glicose que, por sua vez, produziria energia (gliconeogênese). Uma enzima chamada lipase realiza a quebra das moléculas de ácidos graxos.
O glicogênio é um carboidrato complexo, formado por uma cadeia longa de várias moléculas de glicose. Ele é encontrado principalmente nas células do fígado e dos músculos. O glicogênio situado no fígado tem a função de regular a glicemia do sangue; já o situado nos músculos fornece energia para as células. Quando praticamos algum exercício intenso, as células musculares utilizam o glicogênio armazenado para quebrá-lo (glicogenólise) e fornecer glicose para a produção de energia.


Catherine Yeulet/iStockphoto/Thinkstock/Getty Images
Durante um exercício físico, a fonte primária de energia é o glicogênio muscular

A forma
primária de energia que seu corpo utiliza vem da glicose, portanto, quando iniciamos um exercício físico, no primeiro momento a produção de energia vem da glicogenólise. Então, quando as reservas de glicogênio nas células musculares não são suficientes, acontece a quebra das gorduras, chamada de lipólise. Em último caso, proteínas também podem ser utilizadas para a produção de energia quando quebrada em pedaços menores. Os aminoácidos podem, assim como os ácidos graxos, produzir glicogênio (gliconeogênese) e também podem produzir ácidos graxos livres (lipogênese). A lipogênese acontece principalmente quando fazemos algum exercício físico em jejum e, por quebrar as proteínas presentes na célula, acaba ocasionando perda muscular – por isso exercitar-se em jejum não é uma prática aconselhada.



Anterior Início