Busca  
  Ciências Naturais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

O Reino Plantae

Todos os organismos do reino vegetal são autótrofos, ou seja, produzem seu próprio alimento. Mesmo as pequenas plantas, todas elas são pluricelulares. Podem viver em diversos ambientes: existem plantas aquáticas, terrestres, que vivem em águas salobras, lugares altos, locais quentes, frios, secos e úmidos. Cada região, com sua particularidade de clima e solo, possui diferentes tipos de plantas que caracterizam a sua paisagem. Por exemplo, nos desertos encontramos cactos e plantas suculentas; já em regiões tropicais, temos plantas grandes e com folhas perenes (que não caem durante o outono).

Conhecemos hoje aproximadamente meio milhão de espécies vegetais, e novas espécies são descritas a cada ano. Podemos dividir as plantas em dois grandes grupos: o de plantas vasculares, com vasos que levam a seiva das raízes até as folhas, e avasculares, que não possuem estes vasos. Também podemos dividi-las entre plantas com sementes e plantas sem sementes.

Entre as plantas avasculares temos as briófitas (musgos), que também não apresentam semente. Já nas plantas vasculares existem as pteridófitas (samambaias), que não apresentam sementes; as gimnospermas (pinheiros) e as angiospermas (plantas com frutos), ambas com sementes.

As briófitas
Sukpaiboonwat/Shutterstock
As briófitas são geralmente as primeiras a colonizar locais que outras plantas não conseguem, como por exemplo, rochas
São conhecidos como musgos e não atingem grandes tamanhos devido à ausência de vasos condutores de seiva. Possuem pequenas raízes chamadas de rizoides, pequeno caule denominado caulículo e folhas primitivas chamadas de filoides. Estão sempre em ambientes úmidos para que seja mais fácil a absorção de líquidos, mesmo sem raízes verdadeiras nem vasos condutores. As briófitas também precisam de água para a sua reprodução, que é feita por meio de estruturas masculinas e femininas.

Dentro do grupo das briófitas, além do musgo, também existem as hepáticas, que são pequenas plantas que possuem folhas no formato de fígado. O grupo das briófitas é muito importante na formação de uma paisagem. Elas têm o papel de pioneiras, ou seja, são os primeiros organismos a colonizar um local, podendo se estabelecer em solos mais pobres ou até em rochas.

Nemeziya/Shutterstock
Os pontos escuros nas folhas das samambaias são aglomerados de esporos, responsáveis pela reprodução da planta
As pteridófitas


O grupo das pteridófitas é representado pelas samambaias e pelas avencas. São plantas que não possuem sementes, nem flores e frutos, mas possuem vasos condutores de seiva. A maioria delas está situada em regiões de clima tropical. Elas possuem raiz, caule e folhas que são alimentadas pelos vasos condutores com água, açúcares e sais minerais. Assim como as briófitas, as pteridófitas se reproduzem por alternância de gerações, tipo de reprodução caracterizada por ter uma fase sexuada e outra assexuada. Os pontinhos que vemos nas folhas das samambaias são onde os esporos estão guardados, estruturas responsáveis pela reprodução.

mycola/Shutterstock
Pinheiros são os representantes mais conhecidos do grupo das gimnospermas
As gimnospermas


A palavra gimnosperma significa semente nua, ou seja, sem proteção. As gimnospermas, grupo dos pinheiros, possuem vasos condutores e sementes, porém não apresentam flores nem frutos verdadeiros. Foram as primeiras plantas a ficarem completamente independentes da água para reproduzirem-se. Além dos pinheiros, as araucárias também são representantes das gimnospermas. A maior árvore que temos registro é uma gimnosperma: uma sequoia californiana de 112 metros de altura!

Mazzzur/Shutterstock
As angiospermas são exploradas pelo homem por nos fornecerem madeira, frutos, vegetais e outros
As angiospermas

Todas as plantas que possuem flores e frutos são enquadradas no grupo das angiospermas. Além disso, todas elas possuem vasos condutores e sementes. É o grupo mais diversificado do reino vegetal, e provavelmente o mais explorado pelos humanos também. O fruto é uma adaptação das angiospermas para que a semente fique protegida. As flores verdadeiras também aparecem pela primeira vez nas angiospermas, ao passo que nas gimnospermas aparecem apenas inflorescências.



Anterior Início Próxima