Busca  
  A matriz negra   
Pluralidade Cultural  

Expansão islâmica

africa924/Shutterstock
Momento de oração
Os conquistadores árabes (mercadores) buscavam fortuna. Depois de dominar à força a população do Norte da África, eles partiram em busca de regiões onde pudessem encontrar ouro, marfim e, principalmente, escravos. Os europeus, inclusive, aprenderam com eles a prática de se utilizar da mão de obra escrava negra, conforme afirmam Gilberto Cotrim e Mário Furley Schmidt nas obras Saber e fazer História e Nova História crítica.

Esse avanço territorial no continente permitiu não somente a presença física do árabe na região, mas também a difusão de sua religião. Com isso, não sobravam muitas alternativas ao africano senão a conversão (se é que podemos chamar de conversão o que ocorreria no continente), para não ser taxado de infiel.

OS ENSINAMENTOS DO ISLÃ

Os ensinamentos de Maomé foram reunidos no Corão ou Alcorão, o livro Sagrado dos muçulmanos. Para eles, esse livro preserva a mensagem que Deus – Alá – transmitiu a Maomé por intermédio de seu anjo.

A unidade e o poder absolutos de Deus são um fato e Ele é quem criou todo o Universo. Alá é justo e piedoso e deseja o arrependimento do homem e a sua purificação enquanto ele estiver aqui na Terra, para que assim ele consiga alcançar o paraíso após a sua morte. Para que isso seja possível, Deus (Alá) envia profetas a terra para ensinar aos humanos as suas obrigações. Maomé foi o último dos profetas enviados por Ele. Para os muçulmanos, os profetas do Antigo Testamento e Jesus foram precursores de Maomé.


Anterior Início Próxima