Busca  
  Genética e evolução   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

A vida de Gregor Mendel

Na Biologia, o responsável pela descoberta do estudo da genética na verdade não foi um biólogo ou um cientista. Gregor Mendel, apesar de ter ingressado na universidade para estudar Matemática e Ciências, foi um monge agostiniano. Como sempre se interessou pela ciência, fez diversos experimentos quando esteve no mosteiro. Estudou meteorologia, o comportamento de alguns insetos e cultivou algumas plantas, entre elas, ervilhas.

Szasz-Fabian Ilka Erika/Shutterstock
As ervilhas foram escolhidas sobretudo por serem de fácil cultivo
Seus experimentos com ervilhas foram feitos para entender como as características são herdadas de geração para geração. A Pisum sativum é uma espécie de ervilha muito utilizada antigamente para esses estudos, pois possui diferentes linhagens com características distintas, como ervilhas lisas e rugosas, verdes e amarelas. Além disso, as ervilhas são fáceis de cultivar, possuem um ciclo de vida curto e são muito férteis.

Mendel primeiramente selecionou variedades de ervilhas verdes e amarelas, sem considerar outras características como tamanho, forma das ervilhas etc. Essas ervilhas teriam que ser de linhagens puras, ou seja, quando ocorria a autofecundação (quando a própria planta se poliniza), eram produzidas ervilhas idênticas às da geração anterior. Se acontecesse a autofecundação e a geração nova fosse diferente à geração anterior, a linhagem era considerada híbrida.

Então, Mendel começou a cruzar ervilhas de linhagens puras verdes com as amarelas e observou as gerações que resultavam desses cruzamentos. As plantas puras eram chamadas de geração parental (P); a primeira geração que resultava do cruzamento das gerações parentais era chamada de primeira geração híbrida (F1).


Os primeiros resultados

Quando ervilhas verdes eram cruzadas com amarelas, na primeira geração híbrida nasciam sempre ervilhas amarelas. No entanto, quando esta geração F1 realizava a autofecundação, a segunda geração híbrida (F2) era constituída de ervilhas amarelas e verdes. Vendo que a cor verde nas ervilhas ficava encoberta na geração F1, Mendel denominou essa característica como recessiva e a cor amarela como dominante. Durante esse experimento, Mendel também percebeu que na F2 a proporção das características dominantes para as recessivas era sempre de 3 para 1. Para explicar como isso ocorre, Mendel criou o que é conhecida até hoje como a Primeira Lei de Mendel.



Anterior Início Próxima