Busca  
  A matriz negra   
Pluralidade Cultural  

Frente Negra Brasileira

Zoonar/Thinkstock
Resgate da dignidade
O dia era 16 de setembro de 1931, a cidade São Paulo. Estava criada a Frente Negra Brasileira (FNB), uma organização de negros para negros. Criou sedes pelo interior do Estado, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Espírito Santo. Cerca de 100 mil pessoas se filiaram à organização, que tinha como princípio o fortalecimento, o progresso e a dignidade dos afro-brasileiros.

A sociedade preconceituosa da época não compreendia os ideais de mobilização da FNB, mas com muita luta frente às retaliações a organização foi ganhando respeito. Os fundadores e integrantes promoviam cursos de alfabetização, festivais de música, palestras, possuíam um jornal chamado O Menelik, que era o porta voz das denúncias e reivindicações da entidade, e que depois foi substituído por O Clarim d’ Alvorada, e ofereciam serviços como barbeiro e cabeleireiro, local para jogos e divertimentos, oficinas de costura, posto para o alistamento eleitoral, consultório dentário, organização para mulheres e caixa beneficente para o auxílio dos mais necessitados.

Marcio Barbosa resume bem o que foi a FNB ao descrevê-la:
 
"A Frente Negra ofereceu, a essa população marginalizada, possibilidades de organização, educação e ajuda no combate à discriminação racial. Incentivou a conquista de posições dentro da sociedade e a aquisição de bens. Foi, sem dúvida, conservadora, expressava aspirações de negros de classe média mas com concepções políticas limitadas.  Contudo tentou dar aos afro-brasileiros condições de se integrarem à sociedade capitalista e conseguiu resposta popular, um grande número de filiais e associados que conquistou. Trata-se de uma das grandes mobilizações negras urbanas e sua trajetória é um capítulo importante da história do povo afro-brasileiro."


Em 1936 torna-se um partido político, mas é extinta no ano seguinte pela política de Vargas, que cassou todas as organizações partidárias. Mesmo tendo uma curta duração, a FNB resgatou o orgulho sufocado dos afro-brasileiros, como ilustra o refrão do Hino da Frente Negra, que diz:

Gente Negra, Gente Forte,
Ergue a fronte varonil,
És a impávida coorte
- Honra e glória do Brasil.


A FNB foi o primeiro grande movimento organizado de articulação e força do início do século XX, e deixou uma enorme lacuna para o movimento social e político da comunidade negra.



Anterior Início Próxima