Busca  
  Ciências Naturais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Após a ingestão

iStockphoto/Thinkstock
Animais ruminantes, como as cabras, possuem o estômago dividido em quatro câmaras

Passando pela boca, o alimento ingerido vai para o esôfago, que irá com os movimentos peristálticos conduzir o alimento para o estômago, papo ou moela, dependendo do animal.

Nos humanos, logo após o esôfago, o alimento vai para o estômago. Já alguns insetos, minhocas e principalmente aves apresentam dois órgãos diferentes: o papo e a moela. O papo armazena comida, permitindo que o animal se alimente rápido e em grandes quantidades. Lá, além de guardar a comida, ela também se mantém umedecida para facilitar a digestão. A moela apresenta paredes musculares fortes, que contraem para triturar o alimento. Nas aves, a moela se encontra como uma divisão do estômago, junto com o proventrículo, que irá secretar o suco gástrico com as enzimas digestivas.

Nos humanos e em muitos outros animais o estômago não apresenta nenhuma divisão e é lá que o suco gástrico se encontra com os alimentos para digeri-los. Porém, existem outros mamíferos que possuem divisões em seus estômagos: os ruminantes. Esse grupo é formado por bois, cabras, carneiros, veados, girafas e camelos. O estômago deles é dividido em quatro câmaras: rúmen, barrete, folhoso e coagulador. O capim, que é o alimento principal desses animais, vai para a primeira câmara do estômago (rúmen), onde existem diversos microrganismos que irão ajudar na digestão da celulose. Depois do rúmen, o alimento volta pra boca do animal para ser mastigado novamente, e só depois volta para o estômago para passar pelas outras câmaras, onde ele será misturado com mais microrganismos e enzimas.



Anterior Início Próxima