Busca  
  Vegetais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Tecidos vasculares

Os tecidos condutores, por meio dessas nervuras, leva água e sais minerais para todas as partes da planta

As
plantas vasculares (pteridófitas, gimnospermas e angiospermas) possuem tecidos condutores, que distribuem a água e os nutrientes absorvidos pela raiz por toda planta. Existem dois tipos de tecidos condutores (ou vasculares): o xilema e o floema.

BlueRingMedia/Shutterstock


O xilema é formado por células impregnadas de uma substância chamada lignina, que endurece e impermeabiliza as células. Sem a entrada de água nessas células, elas morrem e o tecido passa a ser constituído por células mortas. O xilema conduz a seiva bruta, que é composta por água e sais minerais, da raiz até as folhas das plantas.

O floema é composto por duas partes: os tubos crivados e as células companheiras. Os tubos crivados são formados por células vivas alongadas e anucleadas. As células companheiras ficam anexadas ao tubo crivado para auxiliar a passagem da seiva. O floema conduz a seiva elaborada, constituída de água e material orgânico produzido na fotossíntese, das folhas até a raiz.


Tecidos de sustentação

Assim como o sistema esquelético dos animais vertebrados, as plantas também possuem tecidos especializados em sua sustentação. São dois tipos diferentes de tecidos que desempenham essa função, o colênquima e o esclerênquima.

O colênquima é um tecido constituído por células grandes com paredes muito grossas, o que garante sua rigidez. O grau de rigidez dessas células depende das necessidades da planta; por exemplo, uma espécie que cresce em locais com muito vento necessita de uma estrutura mais firme para que o caule não se quebre. Já o esclerênquima é um tecido formado por células mortas, também grandes, alongadas e com paredes rígidas e impermeabilizadas pela lignina.

O que origina os outros tecidos


Os tecidos especializados nos seres vivos precisam vir de outros tecidos não especializados, como nosso sangue, produzido a partir de nossa medula óssea. Os tecidos vegetais têm origem a partir dos tecidos meristemáticos ou meristemas, que são compostos por células com grande capacidade de divisão. Os meristemas podem ser divididos em primário e secundário.

O meristema primário é encontrado nas extremidades das plantas, como topo dos galhos e pontas das raízes. Esse tecidos é responsável pelo crescimento do caule em comprimento, dos galhos e das raízes das plantas. Nessas regiões, o crescimento se dá graças à concentração de um hormônio vegetal chamado auxina. O meristema secundário, por sua vez, é responsável pelo crescimento em espessura. É a partir desse tecido que as células diferenciadas, principalmente do parênquima, são formadas.

Anterior Início