Busca  
  História regional   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

A Guerra Local

Museu Univerdade de SP
Maria Quitéria, heroína brasileira da Independência da Bahia
Após o primeiro conflito entre os portugueses e os baianos, fez-se necessário a organização de um contingente fixo para defesa das vilas. O governo da Junta conseguiu unir 1.500 homens, em sua maioria milicianos da região, aos quais se somaram alguns soldados que fugiram de Salvador após o combate no Forte de São Pedro. Formavam-se assim os batalhões patrióticos, que seriam símbolos da resistência contra os portugueses.

Prevendo uma grande dificuldade para avançar, os baianos adotaram a estratégia de bloquear a rota de suprimentos de primeira necessidade para a capital. Eles acreditavam que poderiam enfraquecer o exército português dessa forma.

Os portugueses, por sua vez, decidiram bloquear o litoral da Bahia, apostando que sem os lucros provenientes da exportação agrícola, principalmente do açúcar, os baianos não poderiam se manter no conflito.

Contudo, não havia avanços para nenhum dos lados. Os portugueses não conseguiam obter ganhos consideráveis nem adentrar o território do Recôncavo. Já os baianos não tinham força suficiente para investir contra Salvador.

Anterior Início Próxima