Busca  
  Ciências Naturais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Características das cobras

O guizo é uma característica
das cascavéis

As cobras são animais vertebrados que pertencem ao grupo dos répteis. Elas têm o corpo coberto de escamas e, por não conseguirem controlar a temperatura corporal, são chamadas de animais de sangue frio ou pecilotérmicos.

Serpentes

Algumas delas são ovíparas e depositam seus ovos em lugares protegidos do Sol. Outras geram seus filhotes no interior do corpo da fêmea. Geralmente, os órgãos copuladores ficam abrigados na cauda do macho, em um compartimento interno. A cópula pode levar de alguns minutos a 72 horas. Quando nascem, abandonados pelos pais, os filhotes saem sozinhos à procura de água e comida. Na fase adulta acontece a troca de pele (ecdise) por várias vezes, pois a camada externa de escamas é rígida e não acompanha o crescimento do corpo.

Sucuri
Dentição

As diferentes cobras peçonhentas apresentam dois tipos de dentições características. Em uma, o veneno é injetado por um par de dentes dianteiro, fixo e pequeno – é a chamada dentição proteróglifa, típica das corais verdadeiras. Em outra, chamada solenóglifa, o veneno sai de dois dentes móveis e grandes. Esses dentes longos apresentam um canal interno para injetar o veneno, parecido com uma agulha de injeção, e ficam curvados para trás quando a cobra está com a boca fechada e se movem para a frente no momento em que ela abre a boca para dar o bote. A dentição solenóglifa é encontrada nas jararacas, cascavéis e surucucus.

Você sabe qual a diferença entre um animal peçonhento e um animal venenoso?

Quando dizemos que um animal é peçonhento, ele apresenta um mecanismo para injetar a toxina dentro de seu corpo, como as cobras e as aranhas que injetam veneno por suas presas. Já os animais venenosos, apesar de produzirem a toxina, apenas a liberam sem injeção. Um exemplo são os sapos venenosos, que liberam o veneno produzido em sua pele.

 
Alimentação

Com relação à alimentação, as cobras são carnívoras e, na maioria dos casos, alimentam-se de ratos, peixes, sapos e rãs. Existem também as que se alimentam de outros répteis, que podem ser desde pequenos lagartos até outras cobras, e também as que podem se alimentar de artrópodes, como lacraias. Serpentes constritoras não são peçonhentas, como a jiboia e a sucuri, e matam suas presas por constrição. Depois de se enrolarem no corpo da presa, elas apertam fortemente até que a caça pare de se mexer. As peçonhentas usam seu veneno para paralisar e matar a presa. Após a morte, a serpente engole sua presa inteira sem mastigá-la. A digestão se dá totalmente no estômago.
 
Equilíbrio ecológico

Pelo fato de as serpentes caçarem uma grande variedade de animais, alguns considerados pragas para os seres humanos, como os ratos, esses répteis são importantes no controle populacional de outros animais. As cobras ainda atuam no controle de populações de outras cobras. É o caso da muçurana (também conhecida como cobra preta ou Clélia), que se alimenta de outras serpentes, inclusive as jararacas. Como as serpentes são animais silvestres com importante papel no equilíbrio ecológico, elas recebem a proteção do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
 
Fique ligado!
A palavra réptil deriva do latim reptum, que significa "rastejar".


Anterior Início Próxima