Busca  
  Ciências Naturais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Descobertas sobre os répteis gigantes

Os paleontólogos estão sempre procurando fósseis em todos os lugares. Hoje, já existem mais de mil espécies descritas no mundo inteiro; porém, ainda há muito que descobrir sobre estes fascinantes animais.

Eles passaram por aqui
 
Provavelmente os primeiros registros fósseis encontrados aqui no Brasil foram pegadas de dinossauros encontradas por populações indígenas no município de Sousa, na Paraíba. Existem marcas destas populações ao lado de marcas das pegadas dos dinossauros, e mesmo eles não sabendo quais animais haviam deixado aqueles rastros, já reconheciam que eram de animais que não viviam mais ali.

O primeiro dinossauro descrito no Brasil foi o Staurikosaurus pricei, animal carnívoro que media aproximadamente 2 metros de comprimento. Os fósseis dele foram encontrados na década de 1930 na cidade Santa Maria, Rio Grande do Sul; porém, o dinossauro só foi descrito formalmente na década de 1970, e seu esqueleto hoje se encontra no Museu de Zoologia Comparada da Harvard, EUA.

Os dinossauros
encontrados com mais frequência no Brasil pertencem à família dos Titanossaurídeos, saurópodes típicos do hemisfério Sul. Foram descobertos vários fósseis deste grupo de dinossauros por pesquisadores principalmente na região oeste de São Paulo e do Triângulo Mineiro. Algumas cidades do sudoeste de São Paulo próximas a Marília também apresentam várias descobertas de fósseis. Desde 1998, pesquisadores da Unesp de Rio Claro (SP) fazem expedições às cidades de Flórida Paulista, Irapuru, Lucélia e Pacaembu, onde encontraram diversos ossos de dinossauros e outros répteis primitivos (alguns ancestrais dos crocodilos e das tartarugas que conhecemos hoje).

Os cientistas acreditam em duas teorias que explicam porque há tantos fósseis concentrados no sudoeste paulista: uma afirma que realmente ali era uma região muito rica em diversidade de dinossauros, e a outra que as condições do solo fizeram com que a preservação dos fósseis fosse melhor naquela região.

Entre os Titanossauros encontrados por aqui, um deles, o Adamantisaurus mezzalirai, era uma espécie inédita, descrita em 2006 e encontrada na cidade de Flórida Paulista. Este animal era um grande herbívoro, apresentando cerca de 5 metros de altura e 15 metros de comprimento, medido do início da cabeça até o final da cauda. Afirma-se que o fóssil utilizado para a descrição desta espécie tinha cerca de 70 milhões de anos.

Hoje, existem 17 espécies de dinossauros descritas no Brasil, mas os especialistas afirmam que este é só o começo. Já existem ossos de espécies novas a serem descritas, apenas esperando recursos e pessoas para trabalharem em suas descrições.
 
Os maiores

Crédito: Wikimedia
Os maiores dinossauros conhecidos foram encontrados na América do Sul e pertencem à subordem dos saurópodes; porém, o título de maior dinossauro ainda é assunto polêmico. A princípio, o Argentinossauro era considerado o maior dinossauro, com 20 m de altura, 45 m de comprimento (entre a cabeça e a cauda) com mais de 100 toneladas! Porém, nos Andes patagônios, foram encontradas vértebras de um dinossauro que pode ser maior que o Argentinossauro. As vértebras mediam mais de 1 metro de largura e comprimento. O saurópode foi batizado de Puertassauro e os pesquisadores hoje discutem para saber se este é o maior dinossauro encontrado. Em paralelo, na Ásia, foi encontrado o fêmur de um Bruhathkayossauro, também saurópode, que media 2 metros; a partir deste osso, cientistas especulam que este animal poderia pesar cerca de 150 toneladas, sendo maiores que o Argentinossauro, porém nada ainda foi comprovado.

Já na Europa, o maior fóssil de dinossauro descoberto foi um fêmur de 1,92 m. O osso pertencia a um saurópode da espécie Turiasaurus riodevensis, de 40 toneladas e 30 metros de comprimento. Como todos os saurópodes, era herbívoro e possuía pescoço e cauda muito alongados e uma cabeça pequena.
 
O mais antigo

Em março de 2010, foram encontrados fósseis do animal que deu origem aos dinossauros. Os paleontólogos americanos acharam na África os vestígios deste animal que existiu na Terra 10 milhões de anos antes do registro do dinossauro mais antigo. Este ancestral dos grandes dinossauros é quadrúpede, herbívoro, tem o tamanho aproximado de um cachorro e tem o parentesco com os dinossauros tão próximo quanto o nosso parentesco com os chimpanzés.

Dinossauro corcunda

Em setembro de 2010, pesquisadores acharam fósseis na província de Cuenca, Espanha, de uma espécie nova de dinossauro. A espécie descoberta é integrante do grupo dos terópodas, dinossauros bípedes que deram origem às aves que conhecemos hoje. A descoberta é muito importante, pois o Concavenator corcovatus, nome dado à nova espécie devido à sua corcunda, apresenta marcas que indicam a presença de penas no corpo do animal. Esta novidade fez com que os pesquisadores se questionassem sobre a origem das aves, pois o surgimento das penas nos animais agora se mostrou mais antigo do que se imaginava.

 
Fique ligado!

Pesquisadores da Universidade de Oklahoma descobriram um esqueleto quase intacto de tentossauro – um dinossauro herbívoro de 7,5 metros –, a cerca de 240 km de Oklahoma City. O esqueleto só poderá ser visto pelo público em 2003, mas sua montagem pode ser acompanhada on-line no site do Sam Noble Oklahoma Museum of Natural History.
  
 
 
  

    




 
 



Anterior Início Próxima