Busca  
  Arte   
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias.  

As origens do teatro

Rituais para Dionísio

O teatro nasceu dos rituais realizados nas sociedades primitivas, que acreditavam que as danças imitativas propiciavam poderes sobrenaturais que controlavam os fatos, como a fertilidade da terra e o sucesso em batalhas. Nos primórdios, a teatralidade também foi usada para exorcizar os maus espíritos.

Com a evolução da linguagem e o surgimento da civilização helênica, o ritual do teatro era praticado em festivais dedicados a Dionísio, deus grego do vinho e das artes. Uma poesia cantada chamada ditirambo, oferecida ao deus nas solenidades urbanas, fez surgir o drama, a ficção, evoluindo para o formato teatral contemporâneo. Já a comédia foi originada dos rituais campestres para a divindade.

Na Idade Média, o teatro – muitas vezes encenado dentro das igrejas – tinha como objetivo ensinar o caminho da salvação aos fiéis. Com o Renascimento e a redescoberta da cultura greco-latina, o teatro também passou a ser profano, representado em lugares específicos e nas ruas. Aspectos da herança medieval ainda se mantiveram em autores como Shakespeare, enquanto a tragédia clássica brilha com Jean-Baptiste Racine (1639-1699) e Pierre Corneille (1606-1686).

Você sabia?

A palavra teatro vem do grego e significa, primeiramente, miradouro, o lugar de onde se vê. Entre os termos usados para indicar os logradouros cênicos, theatron indicava a plateia anteposta à orquestra, envolvendo-a com três lados de um trapézio ou em semicírculo. O sentido de miradouro aí permanece. O edifício como um todo era chamado odeion, que quer dizer auditório.
   
Primeiras peças no Brasil

No Brasil, o teatro originou-se com as representações de catequização dos índios. As peças, com conteúdos didáticos, procuravam traduzir a crença cristã para a cultura indígena. A Companhia de Jesus, ordem que se encarregou da expansão da crença pelos países colonizados, encenou as primeiras peças desse tipo no país. O autor era o Padre José de Anchieta.

As representações desse período, sob influência do barroco europeu, eram encenadas com grande carga dramática e com alguns efeitos cênicos, a fim de facilitar a compreensão dos indígenas sobre as lições religiosas.


O teatro moderno

Em fins do século 18, na Alemanha, surge o drama romântico representado por nomes como Johann Wolfgang Von Goethe (1749-1832). Problemas e indivíduos reais marcam o teatro realista/naturalista, dando origem ao drama. Seus principais autores são o norueguês Henrik Ibsen (1828-1906), o irlandês George Bernard Shaw (1856-1950) e o russo Antón Tchékhov (1860-1904). Esses autores apontam para o começo do teatro moderno, no final do século 19 e princípio do 20.

No desenrolar do Modernismo, o 'teatro da crueldade', de Antonin Artaud (1896-1948), e o teatro épico de Bertolt Brecht (1898-1956) são considerados renovadores. Autores como Luiggi Pirandello (1867-1936), Eugène Ionesco (1909-1994), Samuel Beckett (1906-1989), Jean Genet (1910-1986) e Fernando Arrabal (1932) enfocam a angústia existencial. De modo geral, há no desenvolvimento do período moderno duas tendências básicas: uma arte engajada e militante, inspirada por Bertolt Brecht (1898-1956), e uma estética da recusa, que explora até ao absurdo uma situação e desintegra a linguagem.
 
Fique por dentro!
Atualmente, entre os seus vários sentidos, a palavra teatro pode ser utilizada para indicar:
• O espaço onde ocorre uma encenação. É nosso hábito convidar alguém com esta frase: "Vamos ao teatro?"
• Uma arte específica, que se vale sobretudo da palavra, assumida por um ator, para expressar seu conteúdo a uma plateia.
• O conjunto de obras dramáticas de um autor ou de uma época.



 


Anterior Início Próxima