Busca  
  Ciências Naturais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

A batalha contra os vírus

Acompanhe, na sequência abaixo, como é a ação do vírus da gripe e de que forma as defesas do corpo reagem ao ataque até que o bem-estar se restabeleça:

1. Você conversa animadamente com seus amigos, contando todas as novidades que aconteceram durante as férias.

2. Mas um de seus amigos está gripado. Sem querer, ele espirra enquanto vocês batem papo. Milhares de vírus da gripe saem com o espirro e penetram pelo seu nariz e pela sua boca.

3. Os vírus se instalam nas células de seu corpo. Alguns podem se alojar em sua garganta. Vamos acompanhar um destes vírus em ação. Primeiro, ele penetra em uma célula da garganta. Lá dentro, passa a comandá-la, fazendo com que ela trabalhe a seu favor.

4. Em pouco tempo, milhares de novos vírus são produzidos e liberados por esta célula. A partir daí, os invasores atacam outras células, repetindo o processo e aumentando a infecção. É a hora do primeiro sintoma: a dor de garganta.

5. Enquanto isso, o sistema de defesa do corpo procura deter o avanço dos vírus. Células específicas do sangue, chamadas linfócitos, identificam o invasor e levam a informação aos agentes que vão atacar os microrganismos.

6. A informação é recebida e começa a produção de anticorpos para combater os vírus. Ao mesmo tempo, a morte de alguns linfócitos na batalha faz com que nosso corpo fique febril e fabrique pus.

7. Os anticorpos capturam os vírus e os destróem. Podem surgir tosse e coriza, que são uma espécie de restos da batalha.

8. Por fim, um outro tipo de linfócito destrói células infectadas, onde estão se formando novos vírus. É o fim da batalha e o restabelecimento da saúde.

Você sabia?

Muitas pessoas já morreram por causa da gripe. Entre 1918 e 1919, um surto que ficou conhecido por gripe espanhola fez mais de 20 milhões de vítimas em todo o mundo. Uma delas foi o então presidente do Brasil, Rodrigues Alves.


Anterior Início Próxima