Busca  
  Cultura Brasileira   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Saci-pererê

Campeão em popularidade, não há quem não tenha ouvido falar do negrinho arteiro da carapuça vermelha. Com uma perna só e cachimbo sempre na boca, ele vive nas matas e no sertão. Em algumas histórias, é apresentado como filho do Curupira e da Caipora.
 
 
Origem
 
A origem da lenda do Saci é duvidosa. Alguns a atribuem aos índios (o termo 'saci-pererê' é de origem tupi); outros, aos portugueses (há uma lenda no folclore de Portugal sobre um negrinho travesso). Segundo Câmara Cascudo, a perna única do Saci é recordação de seres das fábulas europeias.
 

Travessuras de moleque
 
Moleque negrinho, de olhos brilhantes e vivos como os de uma cobra, o Saci tem meio metro de altura, braços curtos, mãos furadas. Usa uma carapuça vermelha, encantada. Basta apanhá-la para que o Saci realize todos os desejos de quem a pegou. Costuma assobiar antes de aparecer rodando sobre si próprio como um pião formando um redemoinho. Embora não seja malvado, adora fazer travessuras: esconde objetos, trança a crina dos cavalos, apaga o fogo do fogão, queima a comida, azeda o leite, assusta as galinhas, espanta o gado e derruba o chapéu dos viajantes. Quando encontra alguém na mata, o Saci costuma pedir fumo para seu cachimbo. Ai de quem não tiver! Ele faz a pessoa errar o caminho e perder-se por um longo tempo. Quer espantá-lo? Use pimenta e alho.
 
O segredo da sacizada

No livro O Saci, de Monteiro Lobato, o garoto Pedrinho apanha um saci, tira sua carapuça, coloca-o dentro de uma garrafa e torna-se seu dono. Assim, fica conhecendo tudo sobre a "sacizada". Descobre que eles moram num lugar bem escondido da floresta, vivem sete anos dentro de gomos de taquara, depois mais 77 anos nas florestas e campos, até se transformarem em cogumelos. Segundo Tio Barnabé, personagem do Sítio do Pica-pau Amarelo, conhecedor da mata e de seus mistérios, "a força do saci está na carapuça, como a força de Sansão estava nos cabelos. Quem consegue tomar e esconder a carapuça de um saci fica por toda a vida senhor de um pequeno escravo". Monteiro Lobato era considerado um verdadeiro especialista em sacis.
 
Coincidência?
 
No sertão, há vários pássaros de canto estranho e obsessivo chamados sacis. Entre eles, uma ave pequena que procura carrapatos e outros parasitas no dorso de cavalos, trançando suas crinas.

Veja uma animação da história do Saci-pererê:


 
 


Anterior Início Próxima