Busca  
  Cultura Brasileira   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Lobisomem

Se você conhece alguém que é o primeiro ou último de uma série de sete filhos, ou o sétimo filho de um casal que só teve filhas mulheres ou filho de incesto, ou ainda, homens que permaneceram dez anos sem confissão, comunhão ou sem molhar os dedos em água benta... não tenha dúvidas: você pode estar diante de um lobisomem.

Maldição de padrinho

Os primeiros sinais de que um homem é lobisomem aparecem logo após o nascimento ou aos 7, 12, 14 ou 24 anos. Mas, se a pessoa for amaldiçoada pelo padrinho, pode se transformar em lobisomem em qualquer idade. O homem que carrega a maldição do lobisomem é sempre magro e pálido, com grandes orelhas, pelos abundantes pelo corpo, com calos nos antebraços e nas mãos, partes do corpo usadas como patas, quando transformado em quadrúpede.

A transmutação acontece em qualquer dia da semana, exceto aos sábados e domingos. O melhor momento, no entanto, é na noite de quinta para sexta-feira, em especial se a lua estiver cheia. Durante a Quaresma, apenas na Sexta-feira da Paixão. 
 
Noites de terror
 
Monstro com forma de lobo, cachorrão preto ou escuro, o Lobisomem tem a parte de trás mais alta do que a da frente, olhos afogueados, pelos eriçados, unhas agudas. Sua maldição o obriga a percorrer sete cidades em cada noite e voltar ao lugar de partida antes que o galo cante e o dia clareie.

O Lobisomem espalha terror por onde passa: amedronta e ataca pessoas e animais, desvirgina donzelas e morde quem encontra. Devora fetos, crianças pagãs, cabeças de crianças mortas sem batismo, cadáveres, cachorros, filhotes, carniça, excremento de animais, sangue de pessoas que morreram sem confissão.
 
O fim da maldição
 
Existem várias maneiras de acabar com a maldição do Lobisomem:
 
• Ferindo-o com um objeto de prata, fazendo-o perder sangue;
• Saudando-o com o sinal da cruz;
• Contando-lhe que é um lobisomem;
• Queimando as roupas que despe no momento da transformação e substituindo-as por outras novas;
• Chamando o monstro pelo nome de batismo;
• Dando-lhe uma surra com duas cordas de fumo e amarrando-lhe uma terceira no pescoço;
• Jogando-lhe água benta.

Mas cuidado: quem se suja no sangue do monstro ou é mordido por ele torna-se lobisomem também.
 
Proteção contra lobisomem
 
Para se proteger do Lobisomem no momento do ataque, basta abrir os braços em cruz e rezar o Credo. Alho e lâmina de facão ou machado também são úteis. Para matar o monstro, deve-se atirar no dedo mindinho do pé com bala benta ou bala lambuzada em cera de vela do altar.
 


Anterior Início Próxima