Busca  
  Cultura Brasileira   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Boto-cor-de-rosa

Um grande sedutor. Assim é conhecido o Boto-cor-de-rosa, ser fantástico que habita os rios da Amazônia. Sua lenda é muito conhecida: dizem que nas primeiras horas da noite o Boto se transforma num homem branco, alto, forte e bonito.
 
Elegância sedutora
 
Vestido com roupas elegantes e sempre de chapéu para não mostrar o furo por onde respira, ele aparece nos bailes sem ser convidado. Diga-se de passagem que é um grande dançarino. Sua presença chama a atenção. Ele namora, conversa e depois comparece aos encontros que marcou. Antes da chegada da madrugada, volta para a água e para a sua existência de boto.
 
Assaltante de canoas
 
Dizem que o Boto costuma assaltar as canoas que têm mulheres grávidas. É considerado o pai de muitas crianças que nascem nas regiões amazônicas, principalmente aquelas cuja paternidade é desconhecida.

Algumas versões da lenda falam que ele também costuma assumir a forma de uma moça muito bonita que atrai os jovens até o rio e mergulha com eles para nunca mais voltar.

O sensual personagem amazônico
As primeiras menções ao sensual Boto amazônico surgiram no século XIX. Segundo o folclorista Câmara Cascudo, ele seria a versão masculina da mãe-d'água. É provável que tenha sido inventado não pelos índios, mas pelos colonizadores portugueses.


Veja uma animação que conta a história do boto:




Anterior Início