Busca  
  Animais vertebrados   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

O esqueleto

Os vertebrados possuem um esqueleto interno constituído por ossos (duros e resistentes), cartilagens (duras, porém flexíveis) ou por ambos ao mesmo tempo. Os músculos estão inseridos nesse esqueleto, que serve de proteção para o sistema nervoso. O esqueleto dos vertebrados é composto por:

• Crânio: envolve o cérebro;

• Coluna vertebral: protege grande parte do sistema nervoso contido em seu interior (medula espinhal);

• Cintura escapular: conjunto de ossos que sustenta as extremidades anteriores;

• Cintura pélvica: conjunto de ossos que sustenta as extremidades posteriores.


A cefalização

A cefalização é o processo de desenvolvimento pelo qual o encéfalo dos vertebrados adquiriu, ao longo de milhares de anos, uma grande capacidade para desenvolver múltiplas estratégias de localização e caça de suas presas, o que lhes permitiu sobreviver nos mais diversos ambientes. O encéfalo, protegido pelo crânio, prolonga-se pelo interior da coluna vertebral para formar o cordão nervoso, chamado medula espinhal, de onde partem os nervos que atingem todos os pontos de seu corpo.

Tipos de vertebrados


Existem cinco grandes grupos de vertebrados:

Peixes: seres aquáticos com pele coberta por escamas ou por pequenos dentes, no caso dos condrictes (tubarões e raias);

Anfíbios: possuem pele viscosa e úmida e vivem fora d'água depois de adultos. Dependem totalmente da água para sua reprodução;

• Répteis: vivem em ambientes terrestres e, por isso, seu corpo é revestido por
escamas duras e secas que os protegem da desidratação;

• Aves: o corpo é recoberto por penas que auxiliam no voo e mantêm o calor do corpo;

• Mamíferos: conservam o calor graças às câmaras de ar formadas por pelos que cobrem seus corpos.

A alimentação

Os vertebrados alimentam-se de vegetais, de carne ou de ambos ao mesmo tempo. Seu aparelho digestório é formado por um tubo comprido que começa na boca e termina no ânus, situado no final do abdome. Possuem também glândulas anexas, como o fígado e o pâncreas, que secretam substâncias necessárias para a digestão dos alimentos (enzimas).


shutterstock
Os arcos branquiais são peças do esqueleto, ósseas ou cartilaginosas, que sustentam as brânquias; estão situadas na parte anterior do tronco, ao lado da faringe
A respiração

Tanto os peixes como as larvas dos anfíbios realizam respiração branquial. Nos dois lados da faringe desses animais encontram-se arcos que sustentam pequenas lâminas membranosas, as brânquias, onde a água passa. Essas pequenas lâminas são irrigadas pelo sangue, que recolhe o oxigênio contido na água. Os pulmões são os órgãos respiratórios dos anfíbios adultos, dos répteis, das aves e dos mamíferos. São sacos de aspecto esponjoso com numerosos canais, onde o ar entra e sai, e por onde passa o sangue que recolhe o oxigênio do ar aí presente.

 
O aparelho circulatório

O sangue dos vertebrados circula num circuito fechado de condutos. Nos vertebrados de respiração branquial esse circuito é simples: o sangue é impulsionado através do coração para as brânquias, onde se carrega de oxigênio; por meio de artérias e capilares oxigena todo o corpo; e, por último, retorna ao coração pelas veias.
 
shutterstock


Nos vertebrados terrestres de respiração pulmonar, o circuito percorrido pelo sangue é duplo: sai do coração, é oxigenado nos pulmões e volta ao coração, de onde sai para irrigar todo o organismo. Depois, regressa novamente ao coração, onde o ciclo é reiniciado.




Anterior Início Próxima