Busca  
  Ecologia e Meio Ambiente   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

Para fixar o conceito

Para entender o método utilizado pelos pesquisadores para estimar o tamanho de populações biológicas em estado natural, podemos fazer uma simulação simples, estimando o número de feijões dentro de uma garrafa de refrigerante:

1. Pegue uma garrafa de refrigerante e encha com feijões pretos. Não se preocupe com a quantidade: o desafio é saber quantos feijões existem na garrafa, sem a necessidade de contá-los um a um – é assim que os pesquisadores estimam o tamanho das populações biológicas em estado natural.


2. Retire um copinho de feijões pretos da garrafa, conte o número de feijões no copinho e substitua-os por feijões pardos ou brancos. Esses feijões diferentes representam a primeira amostra (B) de população capturada, marcada e devolvida à natureza.

3. A garrafa deve ser bem agitada para que os feijões misturem-se ao acaso. Depois disso, retire mais um copinho de feijões da garrafa, conte quantos feijões foram retirados e quantos desses são pardos ou brancos. Feito isso, devolva todos os feijões para a garrafa.

4. Este procedimento deve ser repetido várias vezes e seus resultados anotados em uma tabela:
tabela
 

5. Aplicando-se a regra de proporcionalidade: B/A = B'/A', é possível fazer várias estimativas sobre o número total de feijões na garrafa (a população total), utilizando uma regra de três:
 
 
Depois, calcula-se a média geral de todas as estimativas feitas, comparando-a com o número de feijões da garrafa – que finalmente deve ser contado um a um, a fim de se avaliar se o número obtido aproxima-se do real. Neste caso, pode-se fazer essa comparação, mas numa população natural fica-se com o número obtido, que deve, portanto, refletir o número total de indivíduos que se quer avaliar para aquela população.



Anterior Início