Busca  
  Corpo humano   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

O sistema genital feminino

A parte interna do sistema genital feminino, na região inferior da pélvis, é formada por ovários, tubas uterinas, útero e vagina. A parte externa é a vulva. Também fazem parte do sistema genital feminino as glândulas mamárias, órgãos destinados à alimentação do recém-nascido durante seus primeiros meses de vida. O sistema genital feminino também pode ser chamado de sistema reprodutor, pois ele cumpre as funções de formar as células sexuais (óvulos) e garantir o encontro entre estas e os espermatozoides, o que provavelmente resultará em gravidez. Essas funções são realizadas a partir da puberdade e vão até a menopausa.

Clique na figura e veja o ciclo menstrual
O ciclo fértil

Os dois ovários da mulher podem formar uma grande quantidade de futuros óvulos, chamados de ovócitos primários, ainda quando feto. Periodicamente – a cada 28 dias, em média –, o folículo amadurece sob ação de certos hormônios e faz com que o ovócito primário se divida, dando origem ao ovócito secundário. Na ovulação, a parede do folículo se rompe e o ovócito secundário é expulso de seu interior, instalando-se nas tubas uterinas, lugar onde deverá ocorrer a fecundação. O ovócito secundário só irá se transformar em óvulo por meio da meiose se esta fecundação ocorrer.


A preparação para uma gravidez

As tubas uterinas desembocam no útero, uma cavidade em forma de pera. O útero apresenta uma atividade cíclica de cerca de 28 dias. Na primeira metade do ciclo, a mucosa que recobre esse órgão (o endométrio) modifica-se para receber um embrião, que iria se implantar nesta parede caso ocorresse a fecundação. Se não houver fecundação, a mucosa descama e é expulsa ao final do ciclo junto com o ovócito não fecundado. É a menstruação.

 

Clique na figura para saber mais
Clique na figura para saber mais

A puberdade

Durante a puberdade, os órgãos sexuais amadurecem por ação dos hormônios. Em torno dos 10 anos, os seios começam a se desenvolver. Pouco mais tarde, começa o crescimento dos pelos do púbis e das axilas. Por volta dos 12 anos, ocorre a primeira menstruação (menarca). Durante esse período ocorre uma série de mudanças hormonais: a hipófise produz FSH (hormônio folículo estimulante), que estimula a ovulação e o LH (hormônio luteinizante), que induz a saída do óvulo já maduro em direção ao exterior do ovário. Estes dois hormônios irão estimular os ovários a produzirem estrogênicos, hormônios responsáveis pelas características sexuais secundárias.
 

A partir da primeira menstruação, a adolescente pode ficar grávida após uma relação sexual.

O climatério e a menopausa

Toda mulher, entre 40 e 50 anos, vivencia uma fase chamada climatério, que é definido como o período de transição entre a fase reprodutiva e a não reprodutiva. Nesse período, o corpo diminui gradativamente a produção dos principais hormônios femininos (estrógeno e progesterona), caracterizando o fim da ovulação e do ciclo fértil. Com as mudanças hormonais, a ovulação e a menstruação tornam-se irregulares até acabar definitivamente. A maioria das mulheres pode apresentar sintomas de intensidade variável, como ondas de calor, suores noturnos, insônia e diminuição do desejo sexual. Os ginecologistas chamam a última menstruação de menopausa.

Muitas mulheres aderem à terapia de reposição hormonal (TRH), sempre sob supervisão médica, para aliviar sintomas e usufruir de benefícios como a proteção cardiovascular.

 



Anterior Início Próxima