Busca  
  Corpo humano   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

O sistema nervoso periférico

O sistema nervoso periférico é constituído por uma extensa rede de nervos formados pelas fibras nervosas motoras e sensoriais que conectam o sistema nervoso central ao restante do organismo. O encéfalo dá origem a 12 pares de nervos cranianos nos mamíferos, peixes e aves. Da medula espinhal partem os nervos raquidianos, ainda mais numerosos.
À medida que aumenta a distância da medula, o diâmetro dos nervos vai se reduzindo até formar minúsculas ramificações quando chegam à pele, aos músculos e aos diferentes órgãos onde se encontram os receptores.

Os nervos são formados por um número variável de axônios dispostos paralelamente. Estes axônios envoltos em bainhas formam fibras nervosas que, por sua vez, agrupam-se no interior de uma bainha de tecido conjuntivo.

Para lembrar:

Conforme a função que exercem, distinguem-se três tipos de nervos: os sensitivos, que trazem informações dos órgãos sensoriais para o SNC; os motores, que levam informações do SNC aos órgãos efetuadores; e os mistos, que possuem fibras tanto sensitivas quanto motoras.

Os receptores nervosos

O organismo tem estruturas específicas para captar os estímulos internos e externos e convertê-los em impulsos nervosos. Entre essas estruturas, destacam-se os corpúsculos de Meissner (tato), os corpúsculos de Ruffini (pressão e estiramento de pele), as terminações nervosas livres (dor) e os corpúsculos de Krause (frio).

Os impulsos nervosos são transmitidos pelos nervos sensoriais até os centros nervosos.

As ações reflexas

As ações reflexas são as respostas involuntárias dadas pelo organismo ante um estímulo, seja ele interno ou externo. A mais simples é o arco reflexo, no qual intervêm os seguintes elementos: um receptor sensorial, um nervo sensorial (que leva o impulso até o sistema nervoso central, onde é elaborada uma resposta) e um nervo motor (que transmite a ordem a um órgão que executa a resposta). Um exemplo é o reflexo patelar, que ocorre com a estimulação da região do joelho com uma leve batida, resultando no estiramento instantâneo da perna.

O sistema nervoso periférico autônomo
 
O sistema nervoso periférico autônomo garante o funcionamento das glândulas endócrinas, da circulação do sangue, das vísceras e dos órgãos genitais. Ele divide-se em dois subsistemas: o simpático e o parassimpático, que se diferenciam essencialmente por apresentarem funções antagônicas.
 
Uma parte das fibras nervosas é especializada em formar o sistema nervoso periférico autônomo ou involuntário.

A meningite


A meningite é uma infecção que pode ser causada por diversas bactérias (sobretudo a Neisseria meningitidis ou meningococos) ou por vírus, que provocam a inflamação das meninges. O resultado é cefaleia (dor de cabeça) intensa, vômitos, febre alta e rigidez da nuca. Se não for tratada a tempo, a infecção pode atingir outras partes do sistema nervoso e resultar em complicações graves.

Os meningococos (Neisseria meningitidis) são bactérias que têm a forma de grãos de café ou de rins contrapostos. Os meningococos são parasitas da nasofaringe, mas em determinadas circunstâncias podem atingir o sangue e o líquido cefalorraquidiano.




Anterior Início Próxima