Busca  
  Vegetais   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  

A entrada dos nutrientes

As espécies diferentes de vegetais apresentam diferentes padrões de nervuras

A raiz é a parte subterrânea da planta, caracterizada por um geotropismo positivo, isto é, com crescimento orientado em direção ao solo. Sua função é fixar a planta ao substrato e absorver água e sais minerais. Algumas raízes tornam-se mais grossas e são especializadas em acumular material nutritivo, utilizado pela planta em determinadas etapas de seu crescimento. Elas são chamadas de raízes tuberosas e os principais exemplos são a cenoura, a beterraba, a batata-doce, o nabo e a mandioca. As raízes crescem sob a terra, mas existem raízes aéreas (como a hera e algumas plantas de mangue) e raízes de parasitas (como o cipó-chumbo e a erva-de-passarinho), que penetram no corpo do hospedeiro. Também existem plantas que possuem nódulos em suas raízes com bactérias que fixam o nitrogênio do solo. Esses nódulos são encontrados nas raízes das plantas leguminosas (como feijão, soja etc).

Para lembrar:
Existem dois tipos básicos de raízes: a axial (ou pivotante), com uma só raiz principal, da qual partem as raízes secundárias; e a fasciculada, sem raiz principal, constituída por muitas raízes de igual comprimento, também conhecida como ‘cabeleira’, devido ao seu aspecto.

 

Folhas, um laboratório muito eficiente

As folhas estão entre os órgãos mais importantes dos vegetais superiores. Realizam funções complexas como a fotossíntese e o intercâmbio de gases entre a planta e o meio em que vive. Possuem formas muito variadas e podem ser agrupadas em função de suas características: a existência ou não de pecíolo, o cabo que a segura nos galhos (peciolada ou séssil); a forma e a borda do limbo; as nervuras desenhadas pelos próprios vasos condutores que as percorrem; a presença de um ou vários limbos (simples ou compostas).

O caule, uma estrutura fundamental

O caule é um órgão essencial da planta e cumpre várias funções: sustentar as folhas em direção à luz; levar a elas a água e os sais minerais (seiva bruta); transportar os produtos da fotossíntese (seiva elaborada) das folhas para toda a planta. Essas duas últimas funções só ocorrem por causa dos vasos condutores xilema e floema. Seu geotropismo é negativo, isto é, ele cresce em direção contrária ao solo.


Há dois tipos principais de caules: os herbáceos, próprios das plantas jovens, e os lenhosos, próprios de árvores e arbustos. Os caules herbáceos geralmente são verdes e flexíveis, já ou lenhosos são rígidos e com aspecto de madeira.



Anterior Início