UFG - Univ. Federal de Goiás/2004
História > Geral > Atualidades

Embora o colapso do socialismo soviético e suas enormes consequências, por enquanto impossíveis de calcular por inteiro, mas basicamente negativas, fossem o incidente mais dramático das Décadas de Crise que se seguiram à Era de Ouro, essas iriam ser décadas de crise universal ou global. A crise afetou as várias partes do mundo de maneiras e em graus diferentes, mas afetou a todas elas, fossem quais fossem suas configurações políticas, sociais e econômicas. HOBSBAWM, Eric. "A era dos extremos": o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 19. Hobsbawm avalia que a queda do socialismo soviético insere-se em um contexto de crise global que se desdobra no mundo contemporâneo. Nessa direção, a crise global
a) cria uma nova polarização política baseada no antagonismo entre a Europa e os Estados Unidos.
b) favorece a emergência de novas nações, levando a eclosão de conflitos étnicos e religiosos.
c) impede o desenvolvimento de tecnologias capazes de produzir armas químicas, biológicas e atômicas.
d) libera uma grande quantidade de capitais, para o financiamento do desenvolvimento industrial da Rússia.
e) elimina os conflitos políticos e sociais que ameaçavam a hegemonia norte-americana no mundo.