Qual é a diferença entre resenha e fichamento?
"Resenhar significa fazer uma relação das propriedades de um objeto, enumerar cuidadosamente seus aspectos relevantes, descrever as circunstâncias que o envolvem." (Platão & Fiorin). Segundo esses autores, a resenha descritiva consta de duas partes. Uma dá informações sobre o texto: nome do autor, título completo da obra, nome da editora, lugar e data da publicação, número de páginas etc. Outra seria o resumo do conteúdo da obra: indicação do assunto global da obra e do ponto de vista adotado pelo autor e resumo que apresenta os pontos essenciais do texto e seu plano geral. Se a resenha for crítica, devem-se acrescentar comentários e julgamentos do resenhador sobre as ideias do autor, o valor da obra etc. Artigos com as características acima, publicados em jornais e revistas comentando criticamente filmes, livros, peças de teatro e programas de televisão, são resenhas críticas. (Bibliografia: PLATÃO & FIORIN. Para entender o texto – Leitura e redação. São Paulo: Ática, 1991.) Quanto ao fichamento, há vários tipos, que dependem do objetivo que se tem. Há fichas bibliográficas, fichas de assunto, fichas de resumo. As fichas, em geral, organizam e esquematizam as informações de leitura que fazemos, facilitando uma consulta posterior à obra. Sugestões: • Dados bibliográficos são essenciais para se iniciar um fichamento: título, autor, editora, lugar e data da publicação. • Indicação do gênero do texto (narração, texto dramático, texto científico etc.). • Se se trata de uma narrativa, pode ser interessante um resumo da obra, enfocando os principais fatos, com identificação do narrador e das personagens, descrição e relacionamento das personagens principais e secundárias. • Principais temas abordados na obra. Outros itens do fichamento dependem do interesse particular de cada leitor. Podemos transcrever trechos da obra que consideramos importantes. Pode ser útil, em alguns casos, a apreciação crítica da obra. Não há modelos rígidos de fichamentos.