Como são classificadas as algas?
As algas costumam ser divididas em seis filos. A classificação se baseia em três critérios: pigmentos presentes no plasto, tipo de substância de reserva e componentes da parede celular. Os filos são os seguintes: Filo Chlorophyta – clorofíceas ou algas verdes, que podem ser uni ou multicelulares. Elas têm como pigmentos o caroteno e a xantofila. A reserva é feita na forma de amido e a parede celular é de celulose. Ex.: ulva (alface-do-mar), Spirogyra. Filo Phaeophyta – feofíceas ou algas pardas, são multicelulares, têm carotenos e xantofilas (fucoxantina), reserva na forma de laminarina e óleos e parede de celulose e algina. Ex.: sargaço. Filo Rodophyta – rodofíceas ou algas vermelhas, a maioria pluricelular, têm ficocianina e ficoeritrina, reserva de amido das florídeas e parede de celulose e também ágar e carragenina. Ex.: Porphyra, utilizada na culinária japonesa com o nome de nori. Filo Chrysophyta – algas douradas, a maioria unicelular, têm carotenos e xantofilas, reserva na forma de óleos e parede de celulose e sílica. Representantes mais conhecidos são as diatomáceas. Filo Euglenophyta – euglenoides, são unicelulares, têm carotenos e xantofilas, reserva de paramilo e não possuem parede celular. Ex.: Euglena. Filo Pyrrophyta – dinoflagelados, são unicelulares, têm carotenos e xantofilas, reserva de amido e óleos. Algumas têm parede de celulose e outras não têm parede celular. Ex.: Noctiluca, conhecida pelo fenômeno da bioluminescência, emitindo luz esverdeada que pode ser vista à noite.