Qual a diferença entre difusão facilitada, osmose e transporte ativo?
A difusão facilitada é um processo de passagem de substâncias de um lado ao outro da membrana plasmática, com a ajuda de proteínas chamadas permeases. Essas proteínas são responsáveis pelo reconhecimento de substâncias que devem entrar na célula, como a glicose, por exemplo. Este mecanismo de transporte é considerado passivo. A osmose é um processo por meio do qual ocorre trânsito de água através de uma membrana semipermeável, como a membrana plasmática. Se considerarmos um tecido cujas células estejam em contato com solução mais concentrada do que a do seu interior, haverá saída de água e esse tecido (ou organismo) sofrerá desidratação. O inverso (reidratação) irá ocorrer no caso de a concentração da solução externa ser menor do que a encontrada no interior da célula, com entrada de água por esse processo. Este processo também é considerado um processo passivo, pois não ocorre gasto de energia. O transporte ativo, ao contrário dos outros dois processos citados, ocorre com gasto de energia e consiste no bombeamento de substâncias através da membrana plasmática, contra o gradiente de concentração. O principal exemplo é o da bomba de sódio-potássio, que mantém essas substâncias em concentrações adequadas dentro e fora da membrana do neurônio, para garantir a transmissão do impulso nervoso.