Quais os tipos de termômetro e a função de cada um?
São diferenciados os seguintes tipos de termômetro: coluna líquida, de resistência, lâmina bimetálica, termopar, a gás e pirômetro óptico. O mais comum dos termômetros é o de bulbo com mercúrio, mas a substância que dilata pode ser substituída por álcool. O termômetro de resistência consiste em um fio de platina enrolado sobre uma forma de mica. Sua resistência elétrica muda à menor variação da temperatura. Essa correspondência entre a variação da resistência e a variação da temperatura do fio pode ser utilizada para indicar mudanças de temperatura. O termômetro bimetálico é feito de duas lâminas finas de metais diferentes, soldadas. Se o coeficiente de dilatação de uma lâmina for maior que o da outra, a lâmina se encurva e este fato pode ser utilizado para indicar a temperatura. O par termelétrico consiste de fios de dois metais diferentes, como ferro e cobre, ligados de modo a formar um circuito. Quando uma das junções dos dois metais é mantida a uma temperatura fixa e a outra junção é posta em contato com o corpo cuja temperatura se quer conhecer, estabelece-se uma corrente elétrica no circuito. Medindo-se esta corrente, pode-se obter aquela temperatura. As temperaturas muito baixas são medidas por termômetros a gás. O volume do gás é mantido constante. As variações de pressão indicam as correspondentes variações de temperatura. Muitos termômetros especiais são necessários para uso na indústria. Não se pode usar um termômetro de vidro e mercúrio em uma fornalha de usina de aço, pois o vidro fundiria e o mercúrio se vaporizaria. Usa-se, nesse caso, um pirômetro óptico. O observador ajusta a corrente que passa por um filamento de lâmpada elétrica até que apresente a mesma emissão de frequência luminosa que o metal fundido na fornalha. Medindo, então, a corrente elétrica no filamento, o observador pode dizer qual é a temperatura do metal.