Busca  
  Química   
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.  


Tendência à desordem

Existe uma tendência a se atingir um mínimo de energia em qualquer processo da natureza. Se existisse apenas este critério, porém, as reações e outros processos endotérmicos, os que se realizam com a absorção de energia, nunca seriam espontâneos. No entanto, há processos químicos ou físicos endotérmicos que se realizam sem um acréscimo voluntário de energia. Nesses processos, ocorre sempre um aumento da desordem molecular. Esta desordem minimiza a energia do sistema, o que compensa o ganho de energia. Por exemplo, se colocamos algumas gotas de álcool sobre nossa mão, este evapora. A evaporação é endotérmica e espontânea. O processo foi possível porque o álcool passou de líquido a gás, um estado mais desordenado.
 
Teoria das colisões

Para que ocorra uma reação, as moléculas das substâncias reagentes precisam se chocar com determinada energia cinética e na direção apropriada. Forma-se então um produto intermediário, o chamado complexo ativado. Ele se decompõe instantaneamente nos produtos da reação. A energia necessária para que se forme o complexo ativado chama-se energia de ativação. Por exemplo, para que um palito de fósforo queime é preciso esfregá-lo na lixa da caixapara lhe fornecer a energia necessária; depois, ele queima espontaneamente, sem nossa intervenção.
 
Choque ineficaz

Uma molécula de iodo (I2), a maior da figura, choca-se com uma molécula de hidrogênio (H2), de modo que, no choque, os dois átomos de iodo se correspondam com os dois átomos de hidrogênio. Se a velocidade for suficiente, forma-se o complexo ativado     [(HI)2], que se decompõe, resultando em duas moléculas de iodeto de hidrogênio (2 HI). Se o choque, por sua direção, afeta apenas um átomo de iodo e um de hidrogênio, é ineficaz e a reação não acontece.


Anterior Início Próxima