Busca  
  Personalidades   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Bola de sabão

Desenho da passarola.
Quando viu uma bola de sabão elevando-se ao se aproximar do ar quente produzido pela chama de uma vela, o padre Bartolomeu de Gusmão teve uma ideia genial: um objeto mais leve que o ar poderia voar! Era o ano de 1709, em Lisboa, quando Gusmão anunciou à Corte que apresentaria um instrumento de andar pelo ar. Em 3 de agosto, realizou a primeira tentativa de ascensão aerostática na Sala de Audiência do Palácio Real. O pequeno balão de papel, aquecido por uma chama, incendiou-se antes de voar. Em 5 de agosto, nova tentativa. O balão subiu cerca de 20 palmos, para espanto dos presentes. Temendo incêndio, criados agarraram o engenho antes que atingisse o teto. A terceira experiência aconteceu em 8 de agosto. Dessa vez, ao ar livre. Na plateia: o monarca e a rainha, o núncio cardeal Conti, todo o corpo diplomático e demais membros da Corte. Sucesso absoluto. Gusmão havia construído o primeiro engenho mais leve que o ar. O invento chamou-se Passarola, pois tinha forma de pássaro. O padre Bartolomeu de Gusmão entraria para a história como o "Pai da Aerostação".

Inventor brilhante

Bartolomeu Lourenço de Gusmão nasceu na Vila de Santos (SP) em 1685. Seguiu para o seminário jesuíta na Bahia. Seu primeiro invento: um aparelho que fazia subir água de um riacho, até uma altura de 100 metros. A água não precisava mais ser transportada morro acima nas costas de homens ou em lombo de animais.
Em 1708, embarcou para Lisboa, então capital do Império. Aprofundou seus conhecimentos na Universidade de Coimbra. Concluiu o doutoramento em 1720.
Depois da apresentação de seu instrumento de andar pelo ar, as experiências continuaram com balões de maior envergadura. Dom João V nomeou-o para a cátedra de Matemática na Universidade de Coimbra, com salário vitalício. Padre Gusmão morreu em 19 de novembro de 1729, em Toledo, na Espanha.


Anterior Início