Busca  
  Política   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Planejamento centralizador na Era Vargas

No poder a partir de 3 de novembro de 1930, Getúlio Vargas estimulou a política industrial, sem abandonar a defesa da cafeicultura. Em maio de 1931, foi criado o Conselho Nacional do Café, substituído em fevereiro de 1933 pelo Departamento Nacional do Café (DNC).

Mesmo que a Revolução de 1930 tenha afastado do poder os antigos políticos do café-com-leite, a economia do país ainda dependia do café para funcionar.








O governo precisava dos impostos que o produto gerava, muitos empregos dependiam dessa lavoura e boa parte do mercado de consumo girava em torno da renda originada pelos cafezais. Nesse período, o planejamento foi muito centralizado e a intervenção do Estado na economia aprofundou-se, dando mais poderes ao presidente.

Desequilíbrios regionais e desenvolvimentismo

Desde o final do Império, a concentração da riqueza no Sudeste do país provocou inúmeras desigualdades regionais. Essa situação motivou a criação de vários órgãos de planejamento para reverter esses desequilíbrios.

O declínio do Nordeste

Criada pelo economista Celso Furtado, em 1959, a Sudene pretendia desenvolver a indústria e modernizar a agricultura.
Até meados do século XVIII, o Nordeste centralizou o poder político e econômico do país. Daí em diante, foi-se transformando em um grande 'problema nacional'. Para contornar essa situação e estimular seu crescimento com os investimentos governamentais e incentivos fiscais, foi criada em 1959 a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), durante o governo de Juscelino Kubitschek. Esse órgão pretendia desenvolver a indústria, promover a agricultura – recorrendo até mesmo à reforma agrária e à mecanização agrícola – e melhorar os serviços públicos.

Novas iniciativas desenvolvimentistas

Após a experiência da Sudene, foram criados outros órgãos também com o objetivo de diminuir os desequilíbrios regionais: Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), em 1966; Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), em 1967; Superintendência do Desenvolvimento da Região Centro-Oeste (Sudeco) e do Sul (Sudesul).


Anterior Início Próxima