Busca  
  Política   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Revolta ao Norte e ao Sul

A insatisfação vinha de todos os cantos do Brasil: em setembro de 1835, o comandante da Guarda Nacional local, Bento Gonçalves da Silva (1788 a 1847), ordenou às suas tropas que ocupassem Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul. Apesar de esses soldados serem da tropa oficial, que deveria defender o governo central, eles obedeceram de imediato à ordem. Isso foi uma mostra da grande insatisfação com a Regência, que se recusava a aumentar o imposto sobre o charque uruguaio, que competia de forma desleal com o gaúcho.


As primeiras ofensivas (1835 a 1839)

Quadro de Antônio Parreiras: farrapos proclamam a República.
Conquistada a capital, os rebeldes — conhecidos como 'farrapos' — conquistaram o interior. De início, o governo central conseguiu algumas vitórias e recuperou Porto Alegre. Mas os rebeldes controlaram a região da Lagoa dos Patos e a Campanha Gaúcha. Em 11 de setembro de 1836, proclamaram a República Rio-Grandense e instalaram-se na cidade de Piratini, a nova capital revolucionária. Quando Bento Gonçalves se preparava para atacar novamente Porto Alegre, em outubro daquele ano, foi vencido na travessia do rio Jacuí. Preso, foi mandado para o Forte do Mar, na Bahia, de onde fugiu em abril do ano seguinte. Ainda preso, foi aclamado presidente da República Rio-Grandense. Com o auxílio do revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi (1807 a 1882), Bento Gonçalves reassumiu a liderança dos rebeldes, que conquistaram Santa Catarina — onde proclamaram a República Juliana, em 1839.

Giuseppe Garibaldi: um herói italiano na Guerra dos Farrapos.
A segunda ofensiva (1840 a 1845)


Em 1840, a Regência enviou reforços para sufocar os revoltosos gaúchos. No comando estava Luís Alves de Lima e Silva, o Barão de Caxias, que usou duas táticas para derrotar o movimento: a luta direta e os acordos em separado com os líderes farrapos. Seu esforço resultou na assinatura da Paz de Ponche Verde, em 1845, que atendeu a praticamente todas as reivindicações dos rebeldes, com a condição de que a Província permanecesse ligada ao Império.


Anterior Início Próxima