Busca  
  Política   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Bonés e insígnias

Os escalões de combate do exército
Ao observar um militar, podemos saber o nível hierárquico e posto do Exército que ele ocupa olhando o quepe ou a boina e a insígnia de seu uniforme, ou seja, aqueles símbolos que ficam ou em seu ombro ou no braço. Existem cinco níveis hierárquicos: oficiais-generais, oficiais superiores, oficiais intermediários e subalternos, subtenentes e sargentos e, finalmente, cabos, taifeiros e soldados. Cada um desses níveis possui postos também organizados hierarquicamente. Veja na tabela a disposição hierárquica do Exército brasileiro (do posto mais alto ao mais inferior).

NÍVEIS HIERÁRQUICOS e POSTOS

 





Oficiais-generais



Marechal – Chefe supremo do Exército. Este posto só é ocupado em época de guerra.
General de Exército – Em tempo de guerra, comanda o Exército, subordinando-se ao marechal. Na administração, ocupa o cargo de ministro do Exército.
General de Divisão – Comanda uma divisão. Na administração, chefia departamentos do Ministério do Exército.
General de Brigada – Comanda uma brigada. Na administração, cargos como o de chefe do Estado Maior do Exército, um dos órgãos de direção-geral do Ministério do Exército.

 

 
 
 
 
 
 
 
 












Oficiais- superiores


Comanda um batalhão, grupo formado por 600 soldados no máximo. Na administração, chefia departamentos de outras repartições do Exército.
Oficial que auxilia o coronel, a quem é subordinado. Também pode comandar um batalhão em casos de guerra. Ocupa cargos administrativos de chefia em seções de repartições do Exército.
Na administração, ocupa cargos de acordo com sua formação profissional superior. O Exército possui profissionais nas áreas de engenharia, odontologia, medicina e comunicações, entre outras.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


 
 





Oficiais intermediários e Subalternos



Comanda uma companhia. Ocupa cargos administrativos em repartições do Exército, dependendo de sua formação profissional.
Oficial que comanda pelotão. Ocupa cargos administrativos em repartições do Exército, dependendo de sua formação acadêmica.
Possui a mesma função que a do primeiro-tenente.
Militar que ingressa na instituição após ter concluído curso universitário ou se formado em academias do próprio Exército. Leva em média 30 anos para atingir o posto de general. Em casos de guerra, chefia pelotão. Na administração, exercem funções ligadas à sua formação profissional.
























Subtenentes e sargentos


Responsável por controlar a distribuição e manutenção de armas e fardas. Subordinado ao aspirante, em guerra, pode comandar pelotão também.
Auxilia o subtenente, a quem está subordinado. Em guerra, também comanda pelotão.
Tem a mesma função que a do primeiro-sargento.
Auxilia o segundo-sargento, a quem está subordinado. Comanda um grupo de combate.

















Cabos, taifeiros e soldados


Subordinado ao terceiro-sargento, responsável pelo cuidado com os equipamentos bélicos e as fardas. A ele, estão subordinados, no máximo, dois soldados.
 
Coordena as tarefas de manutenção. Seria, por exemplo, o equivalente ao chefe de cozinha.
Responsável pelas tarefas de manutenção das instalações militares.
Auxiliar de tarefas de manutenção das instalações militares como limpeza, cozinha e manutenção.
 
NÃO USA INSIGNIAPosto inicial da carreira militar. Subordinado ao cabo, é o responsável pela manutenção das fardas e armas.










 


Anterior Início Próxima