Busca  
  Sociedade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

A chegada dos imigrantes

Emigrantes italianos partiam rumo ao Brasil em busca de novas oportunidades de vida no Novo Mundo
Após a Revolução Industrial, os ingleses passaram a se opor ao trabalho escravo nas colônias de além-mar. O tráfico negreiro deixava de ser um bom negócio, cedendo lugar ao comércio de bens manufaturados. Para que houvesse consumidores desses produtos, era preciso pagar alguma coisa aos trabalhadores, futuros consumidores. Abolida a escravidão, países como o Brasil e os Estados Unidos, por exemplo, passaram a receber levas de imigrantes europeus e asiáticos a partir do final do século XIX. Aqui, esses trabalhadores foram levados para as plantações de café e, depois, já no século XX, para a indústria nascente.


 

Fique ligado!

Para receber os imigrantes que vieram trabalhar na lavoura de café, foi criada a Hospedaria do Imigrante em São Paulo. Em seus 91 anos de existência, a hospedaria recebeu quase 3 milhões de pessoas de mais de 60 nacionalidades. Hoje funciona no local o Memorial do Imigrante com o objetivo de reunir, preservar e expor a memória e objetos daqueles que trocaram a terra natal pelo Brasil.

A Hospedaria do Imigrante inaugurada em 1882 no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, e reinaugurada seis anos depois no Brás, abrigou os imigrantes antes de partirem para as fazendas de café no interior paulista.

Abertura


Até a abertura dos portos, em 1808, com a chegada da família real, um estrangeiro só entrava no Brasil com a autorização da Coroa portuguesa. Pelo decreto assinado por D. João VI, qualquer pessoa poderia entrar e comercializar na nova sede do império lusitano.



Américas


De 1800 a 1955 entraram no país cerca de 6 milhões de pessoas, a maioria patrocinada pelo governo brasileiro. É muita gente, mas nem tanto se compararmos ao número de pessoas que chegaram aos Estados Unidos, Canadá ou Argentina nesse mesmo período. Nos Estados Unidos entraram cerca de 40 milhões de imigrantes, o Canadá recebeu 5,2 milhões e a Argentina, cerca de 7 milhões. A maioria dessas pessoas vinha para o Novo Mundo alimentando o sonho de uma vida melhor. Em seus países de origem, passavam por dificuldades socioeconômicas.


Anterior Início Próxima