Busca  
  Sociedade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Portugueses, espanhóis e italianos

Reprodução
O processo de industrialização brasileiro no começo do século XX utilizou a mão de obra imigrante. Na fábrica de óleo Sol Levante, das Indústrias Reunidas Matarazzo, em São Paulo, os italianos eram maioria.
Apesar de os imigrantes terem se espalhado por todo o país, a maior influência dessa movimentação de milhares de pessoas ficou concentrada nas regiões Sul e Sudeste, onde se formaram comunidades típicas.

Portugueses e espanhóis

Os portugueses foram os primeiros a se espalhar pelo Brasil. Logo em seguida, em 1580, chegaram alguns espanhóis. A partir de 1841, um número muito grande de espanhóis começou a chegar ao país. Seus descendentes se espalharam pelo Brasil, e as cidades preferidas foram Rio de Janeiro e São Paulo, onde muitos se estabeleceram no comércio.


Italianos

Eles foram os primeiros estrangeiros a chegar ao porto de Santos a partir de 1850, para dar continuidade ao trabalho nas lavouras de café. Muitos deles foram, no entanto, para a região Sul, onde suas colônias deram origem a importantes cidades como Caxias do Sul e Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, e Criciúma, em Santa Catarina. Ali, eles foram responsáveis pela introdução da cultura da uva e da produção de vinho. Em São Paulo, além da lavoura cafeeira, os italianos estiveram presentes na implantação e desenvolvimento das primeiras indústrias paulistas. A presença italiana na cidade de São Paulo pode ser sentida, por exemplo, na fala cantada de alguns moradores, bem como na culinária.

Você sabia?

Estes são os principais portos de embarque para o Brasil: Nápoles e Genova (Itália), Vigo (Espanha), Lisboa e Leixões (Portugal), Marselha, Havre, Bordeaux (França), Amsterdã (Holanda), Hamburgo e Bremen (Alemanha), Kobe (Japão), Hong Kong e Gibraltar (possessões inglesas na China e na Espanha, respectivamente). As maiores correntes imigratórias eram formadas de portugueses, espanhóis, alemães e italianos. No entanto, etnias procedentes da Ucrânia, Grécia, Armênia, Polônia, Israel, China, Letônia também aportaram nos cais brasileiros.


Acervo Memorial do Imigrante, Museu da Imigração, SP.
A cultura do café absorveu a maior parte dos imigrantes que vieram para o Brasil nas primeiras décadas. A fazenda Guatapará, em São Paulo, é um exemplo.


Fique ligado!

Aqueles imigrantes que não se habituaram à vida no campo voltaram para a capital paulista para abrir comércio. Foram eles os responsáveis pela criação de bairros por nacionalidade, como Bela Vista (Bexiga) e Mooca, de colônia italiana, e Liberdade, de colônia japonesa.


Anterior Início Próxima