Busca  
  Antiguidade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

Um povo de marinheiros e mercadores

As cidades fenícias

A Fenícia era constituída por um conglomerado de cidades independentes (cidades-estados), próximas à costa síria. Sua situação geográfica, dentro das rotas comerciais entre o Oriente e o Ocidente, favoreceu o surgimento de cidades como Biblos, Sidon e Tiro. Os fenícios dedicavam-se mais à indústria e ao comércio marítimo do que à agricultura. Suas cidades eram rodeadas de muralhas e as ruas seguiam um traçado urbanístico melhor do que as demais cidades da época. As construções eram de pedra e seus reis viviam em palácios.

Os fenícios, exímios marinheiros, exploraram com seus navios todo o litoral do Mediterrâneo. Seus mercadores faziam longas viagens para comerciar com terras distantes. O mar não era um obstáculo, mas sim um canal de comunicação ideal para o comércio. Essas expedições, financiadas pela rica oligarquia local, trouxeram grandes vantagens aos fenícios. A cidade de Tiro dominou o comércio durante longo tempo.

Para lembrar:
Com sua poderosa frota, os fenícios controlavam o comércio no Mediterrâneo. Há conhecimento da existência de dois tipos de navios: as galeras de combate, esguias e velozes, impulsionadas por remos e velas e dotadas de um temível esporão de ferro; e os navios mercantes, mais largos e amplos, com grande capacidade para o transporte de cargas.


O comércio mediterrâneo

Os fenícios expandiram e fundaram colônias no norte da África, na Península Ibérica e nas ilhas do Mediterrâneo. Seus navios transportavam madeira, vidro, azeite, cerâmica, móveis e seus famosos tecidos, tingidos com púrpura. Em troca, adquiriam metais diversos, ouro e marfim.


As colônias fenícias (a partir de 700 a.C.)


Os mercadores fenícios estabeleceram importante rede de colônias em toda a bacia mediterrânea: em Malta, Sicília, Sardenha e também na Península Ibérica com enclaves importantes como Gades (Cádiz) e Nova Cartago (Cartagena). No norte da África, ocuparam desde Tânger até Cartago, onde fundaram sua colônia mais famosa. Os fenícios mesclavam-se com as populações locais, o que facilitou suas relações com os nativos.



Máscara cartaginesa procedente de Puig des Molins, Ibiza.
A cultura fenícia

Os fenícios incorporavam às suas antigas tradições elementos culturais dos povos vizinhos. Seus artesãos adaptavam técnicas e estilos, aperfeiçoando-os com grande habilidade. Destacam-se seus trabalhos em marfim, vidro e bronze. Quanto à religião, os fenícios adoravam como deuses as forças criadoras da natureza, como Astarte, deusa da fecundidade, ou Baal, senhor da natureza. Na Bíblia, o nome Baal designa todos os falsos deuses. Em Cartago, ofereciam sacrifícios humanos à grande deusa Tanit, uma das formas da
deusa Astarte.


Anterior Início