Busca  
  Antiguidade   
Ciências Humanas e suas Tecnologias.  

As civilizações do vale do Indo

O marco geográfico

A Índia é uma península meridional da Ásia que adentra pelo oceano Índico. Ao sul fica a península ou meseta de Decán; ao norte, as montanhas do Himalaia. No meio, estende-se uma ampla planície, apropriada para a agricultura, delimitada pelos rios Indo e Ganges. Ambos são longos e caudalosos e abrem em sua passagem vales férteis e muito povoados. O Indo e o Ganges permitiram o desenvolvimento de diferentes culturas na Índia. Tal como ocorreu no Oriente Médio, as grandes civilizações surgiram à margem de grandes rios que asseguravam a agricultura e o comércio, abasteciam as cidades com água e garantiam a prosperidade.


A civilização do Indo


Seus antecedentes são desconhecidos. Sabe-se apenas que no vale fértil do rio Indo surgiram cidades muito desenvolvidas, como Mohenjo-Daro e Harapa, das quais só restam ruínas. Eram cidades cercadas por muros, com milhares de habitantes, que viviam em confortáveis casas de barro. No centro dessas cidades, destacava-se uma gigantesca colina artificial. No topo dessa colina havia uma fortaleza onde se situavam os edifícios mais importantes e a moradia do rei. Depois de se desenvolver com esplendor durante mais de um milênio, a civilização do Indo desapareceu misteriosamente por volta de 1500 a.C.
Alto-relevo que mostra o deus Indra conduzindo um carro puxado por dois cavalos, levando os ários para a guerra.



As invasões árias (até 1500 a.C.)


Os ários, procedentes das estepes da Ásia Central, penetraram pelo noroeste da península e invadiram o vale do Indo. Introduziram sua língua, o sânscrito, e estabeleceram os fundamentos religiosos e políticos da Índia atual, baseados num sistema de castas. Suas crenças religiosas culminaram na criação do hinduísmo e do budismo.


Um povo guerreiro


Os ários constituíam uma sociedade tribal dirigida por chefes guerreiros. Como os combates militares eram frequentes, tiveram de aperfeiçoar suas armas e suas técnicas de guerra. Fabricaram um carro puxado por dois cavalos, que podia conduzir dois guerreiros.


Para lembrar:
Indra, deus da guerra e do céu, era a principal divindade dos ários. Também era muito venerado Varuna, guardião da ordem cósmica. O culto aos deuses era celebrado em altares ao ar livre.


Os grandes impérios (séculos IV a.C. até V d.C.)

No ano 322 a.C. subiu ao poder um jovem guerreiro, Chandragupta, que unificou o país e criou o Império Maurya, depois de enfrentar os persas e os gregos chefiados por Alexandre, o Grande. Esse império atingiu o apogeu no reinado de Ashoka, que foi o primeiro príncipe que se converteu ao budismo. Após seu desaparecimento, foram criados dois impérios: um ao norte, com a dinastia Kushana, e outro ao sul, com os Andharas. No ano 320, a Índia voltou a unificar-se com a dinastia Gupta. A partir dessa data, a Índia viveu uma época de apogeu, que acabou com a invasão dos hunos no princípio do século VI. Comandados por Átila, os hunos, procedentes das planícies da Mongólia, já haviam invadido a Europa.


Anterior Início Próxima